Globo News usa gráfico exibindo meninos de azul e meninas de rosa e revela a hipocrisia

A mídia progressista causou alvoroço quando a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou em um breve vídeo a cerca de um mês atrás que "meninas vestem rosa e meninos azul", em clara referência contra a ideologia de gênero.

No entanto, muitos veículos de comunicação, artistas e público em geral entraram na onda da polêmica distorcendo a fala óbvia da ministra destinando-a a adultos. Foi o caso dos jornalistas do Jornal da Globo, Renata Lo Prete e Jorge Pontual que apareceram em uma edição do jornal, na mesma época da declaração da ministra, trajados ela de azul e ele de rosa. Fiasco total.

Passada a vergonha alheia do jornalismo desacreditado da Rede Globo, agora, a mesma, para ilustrar como funcionaria a Reforma da Previdência, usou o símbolo masculino na cor azul e o feminino em rosa.

Como afirmou, com precisão, Carlos Eduardo de Freitas Rocha, em seu artigo para o Senso Incomum:

"[ A Globo] Sem querer, acabou revelando que a grama é verde; que dois mais dois são quatro; que pau que nasce torto nunca se endireita."

Depois da lacração sempre vem a hipocrisia.

da Redação

Comentários