Com petistas no poder, Brasil dançou de frente para o abismo

Nós dançamos de frente para o abismo!

Numa reunião da ONU foi apresentado um texto onde haviam três exigências:

1° Que Maduro permitisse a entrada de ajuda humanitária para alimentar os famintos até resolverem as questões políticas.

2° Que fosse garantida a liberdade e a vida dos opositores

3° Que convocassem nova eleição supervisionada por representantes de alguns países, garantindo um processo democrático

Justo, não acham?

Pois é... Mas não é bem assim que as coisas andam com os países comunistas.

Rússia e China usaram seu poder de veto e decidiram que Maduro deve continuar no poder e aos demais países cabe apenas assistir à solução doméstica encontrada por eles.

"O mais importante é que os venezuelanos resolvam os problemas sozinhos”. Se a resolução dos EUA tivesse sido adotada, teria sido a primeira vez que o Conselho ignorava o presidente de um país e nomeava outro”.

Nessa fala do embaixador russo vemos o perigo que sofremos ao flertar com o socialismo/comunismo nos últimos anos.

Todo comunismo começa com o socialismo, primeiro eles conquistam a parcela mais frágil da população para que trabalhem na linha de frente dessa batalha até chegarem ao poder absoluto; depois que estão no poder eles se alastram para dentro das empresas estatais, para as escolas e universidades e o projeto de moldar o maior número de cidadãos com um único pensamento, começa à tomar forma.

Se o PT tivesse sido eleito iriamos vivenciar com mais intensidade essa experiência comunista no país.

O governo teria que intervir de forma decisiva nas questões de justiça para soltarem Lula e outros presos aliados, além de arquivarem os processos que ainda podem condená-los. Sabemos que depois que um processo é instaurado, não há como arquivá-lo sem que haja desistência do denunciante (no caso de corrupção o Ministério Público).

Então, o alvo de aparelhamento seria o MP para evitarem novas denúncias e o STF (já aparelhado) garantiria as solturas.

Outra intervenção imprescindível para viabilizar a escalada do socialismo ao comunismo que iríamos experimentar, seriam nas questões sociais. Para garantir que não houvesse mais poder nos grupos de vozes dissonantes, só quem teria poder seriam os grupos alinhados ao socialismo, a comunidade LGBTQ+, os coletivos feministas, sem teto, sem terra, direitos humanos e assim por diante...

Resumo, iríamos reclamar para quem?

O Ministério Público seria neutralizado e a Polícia Federal não teria poder de atuação contra nenhum membro do governo.

Nos restaria pedir socorro à ONU e olhem o que iríamos encontrar... um veto!

Ninguém se importa com a fome e a doença que está maltratando um venezuelano nesse exato momento em que você lê esse texto, o que importa é que "quem comanda o país comanda o petróleo".

No nosso caso seria o mesmo, (e ouso a dizer que seria pior), porque além do petróleo temos água, ouro, sementes e a Amazonia.

Quem não quer?

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários