Modesto Carvalhosa sobre a Reforma da Previdência: ou aprovamos ou viramos um país falido e sem remédio

Caso a Reforma da Previdência não ocorra nos próximos meses, até o meio do ano, correremos um sério risco de nos tornar uma grande Grécia: um país falido e sem remédio. Com chances reais de aumento da pobreza, da miséria, da falta de recursos para a saúde, segurança, saúde etc.

Os congressistas (e o Congresso Nacional, como Casa de representação do povo brasileiro) devem assumir a responsabilidade histórica de aprovar Reforma da Previdência Social, na medida em que se trata de uma questão de salvação do próprio país. Não podemos imaginar que o Congresso, com tantos integrantes novos, possa barganhar cargos e verbas orçamentárias, reeditando ações costumeiras da famigerada cleptocracia, como moeda de troca para aprovação dessa Reforma.

Essa Reforma não é política de governo, mas Política de Estado, que transcende este governo para se tornar o plano de poupança de 10 anos, para que possamos finalmente recuperar nossas finanças públicas.

Este é um apelo social: acabar com esse mercado em torno de um assunto histórico da maior seriedade. precisamos pressionar.

(Texto de Modesto Carvalhosa, jurista responsável por protocolar o pedido de impeachment do ministro do STF Gilmar Mendes).

da Redação

Comentários

Leia mais...