Globo agora diz que protagonista de vídeo postado por Bolsonaro realizava “performance”

A revista Época, componente do conglomerado de comunicação da Rede Globo, deu início a defesa do cidadão protagonista do deprimente vídeo postado pelo Presidente Jair Bolsonaro, onde denunciava a latente imoralidade propagada por muitos blocos de rua no carnaval brasileiro.

A Grande Mídia – insatisfeita pelo corte nas polpudas verbas publicitárias - usou a postagem de Jair Bolsonaro para promover a acusação de que o Presidente da República teria postado um vídeo pornográfico, atentando contra o decoro exigido pelo cargo.

Pura hipocrisia e desfaçatez. Bolsonaro estava denunciando obscenidades que estavam sendo realizadas na via pública, com a complacência da perversa mídia.

Eis que no segundo ato de sua atroz caminhada, essa mesma mídia agora apresenta o protagonista da safadeza explicita como um ‘artista’ e tenta transformá-lo em ‘vítima’.

Veja o que diz o infame texto da revista global:

“Não foi um ato espontâneo nem excessos de Carnaval. A cena exibida em vídeo compartilhado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, na noite de terça-feira (5), era uma performance de um artista e ativista que se dedica a discutir “sexualidades não normativas”. Na cena divulgada mundialmente, uma pessoa de cabelos compridos dança, penetra-se com os dedos e, em certo momento, abaixa a cabeça para que um outro rapaz (também artista) urine sobre ela.”
“A pessoa de cabelos compridos se identifica como Paulx Castello e/ou Sofia Lacre não se identifica nem como homem, nem como mulher, mas fala de si no gênero feminino.”
“Segundo relatos de pessoas presentes no BloCU, a apresentação não se resumiu à chuva dourada. Sofia sacudiu, ainda, os cabelos molhados de urina, atingindo os passantes. Ela e o rapaz que a acompanhava no palco improvisado também se penetraram com os dedos. Antes, de acordo com relatos, ela havia defecado na rua.”

A tentativa de transformar o “artista” em vítima:

“De acordo com um relato de um amigo, a performer estava apreensiva na manhã da quarta-feira devido à repercussão do tuíte de Bolsonaro. Evitava se expor, mas estava mantendo contato com amigos e amigas. Após a divulgação do vídeo, ela fechou seus perfis nas redes sociais. Procurados, amigos e colegas de Paulx não quiseram falar com a reportagem, com receio de que Paulx — emocionalmente frágil — seja perseguida.”

Assim, a mesma mídia lixo que condena o Presidente da República pela postagem de ‘vídeo pornográfico’, diz que o tal vídeo tratava-se da ‘performance de um artista’.

Absurdo total, que demonstra que a falta de dinheiro tem colocado a Rede Globo e outros veículos dependentes de verbas oficiais em ‘parafuso’.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Comentários

Leia mais...