JM Almeida

João Maurino Sernaglia  Almeida Filho. Bacharel em Ciências Econômicas e Ciências Jurídicas. Professor liberal de Matemática Financeira Aplicada. Investigador da Filosofia. Investigador Criticista/Racionalista

O Brasil está moralmente enfermo

Se há salvação? Claro que há! O que está faltando é o Salvador

Vamo-nos encaminhando para o final do ano. O comércio já se antecipa em parte colocando nas vitrines os motivos natalinos. Uma provável tentativa de inflar o espírito da renovação e criar no consumidor a disposição de gastar para afogar as mágoas. Será que pega? Sei, não. Mas, vale a pena tentar. Afinal, todos têm de sobreviver, e mundo vai continuar girando independentemente da tua vontade.

Verdade é: o país perdeu um tempo precioso, o ano de 2015. E, não há quem, dentre os sem privilégios do Estado, não esteja experimentando o seu naco de angústia, perda e algum sentimento de fracasso, ao menos.

Um ano, quase, após a posse de Dilma para o seu segundo mandato, os brasileiros não têm mais dúvida alguma de que foram ludibriados por uma turma de embusteiros. E, da pior espécie.

O Brasil vem sendo assaltado há anos, entretanto, com mais método, que nunca antes houve identificado. Pois foi isso que os partidos políticos fizeram, talvez, com algumas exceções. Roubaram o país. Estou autorizado a afirma-lo e o leitor entenderá por que.

No topo do organograma da quadrilha, o PT definiu um método e o pôs em prática por anos. O resultado é um país doente, acometido pela mais deletéria das enfermidades: a amoralidade.

O país político já não mais consegue entregar paz aos cidadãos por não merecer a confiança do seu povo, em maioria.

De todos os poderes da república, o único que ainda conserva algum respeito perante a sociedade é o Judiciário. Mas, a continuar no caminho dos pensamentos demasiadamente progressistas, trazidos para o interior da Corte nas figuras de alguns novos Ministros, a não ser que se verguem ao respeito à capa e não se deixem infectar nesse processo metastático do câncer moral, terão satisfeita a ordem de alta antes que entrem para a UTI que precede a morte lenta, certa e dolorosa.

No Brasil social, a sociedade brasileira não está a salvo da doença endêmica. Tendo tantos exemplos assim, diuturnamente, os mais fracos e incautos buscam veredas que levam diretamente ao precipício, de onde, do alto, já se avista um bom punhado de gente arruinada.

Com “acordão” ou sem ele, se vê, sem engano, o indício robusto da tramoia e da enganação, do escárnio e do desprezo às virtudes humanas. Todos os de foro privilegiado tentam se salvar.

Bando de aproveitadores safados que se apossam dos recursos do povo para uso próprio no luxo e na riqueza, enquanto fingem governar e legislar em nome do bem-estar deste mesmo povo, magro e lazarento, e da Nação. Uma Nação esgotada de tanto mais o que já pôde dar, estar ainda posta a amamentar em suas tetas cansadas inumerável exército de gananciosos.

Leio nos jornais as manchetes: “PT barra convocação de amigo de Lula em CPI na Câmara” [1]; “Delator diz que Collor pressionou BR Distribuidora em transação de R$ 1 bi” [2]; “Pode existir ‘pedalada’ e não haver motivação de impeachment, diz Cunha” [3]; “CPI da Petrobras chega ao fim com série de constrangimentos ao Congresso” [4]; “Está claro ou precisa desenhar” | “A luta pela sobrevivência de Dilma Rousseff e Eduardo Cunha está arruinando o país” [5]; “Renan dá 45 dias para governo apresentar defesa sobre pedaladas” [6]; “Lula pede que todo mundo que não roubou chame petistas de ladrões” [7]; - Opa! Parei aqui! Meu Deus! Que tipo de sopro divino recebeu essa criatura de Deus? Eis a pérola, segundo a revista: “Queria pedir para vocês é que os petistas voltem a ter orgulho do PT. Se alguém nosso errou, vai pagar, como qualquer cidadão. Mas o que não se pode admitir é que gente que a gente sabe que roubou a vida inteira venha a chamar o PT de ladrão. A gente não pode permitir”.

Bem lido e entendido à risca o conselho de Lula, estou licenciado a chama-los todos (os petistas) de ladrões sem o risco do rancor ou da sanção, pois, jamais roubei. Certo? Errado.

Injuriar, difamar ou, no caso, caluniar ainda é crime. Então, cuidado leitor, não se esfregue em poste com fio desencapado. Não se iluda de que desfrutas das mesmas proteções e benesses que têm esses figurões. Vai acabar no fundo daquele abismo, porque, neste país a lei é para todos, mas a justiça, não! Parafraseando Eduardo Galeano: “Nos tiraram a justiça e nos deixaram a lei”.

JM Almeida




[1] http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/pt-tenta-barrar-convocacao-de-amigo-de-lula-em-cpi-na-camara

[2] http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/delator-diz-que-collor-pressionou-br-distribuidora-em-transacao-de-r-1-bi

[3] http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,pode-existir-pedalada-e-nao-haver-motivacao-de-impeachment--diz-cunha,1784233

[4] http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/cpi-da-petrobras-chega-ao-fim-com-serie-de-constrangimentos-ao-congresso

[5] http://www1.folha.uol.com.br/colunas/fernandocanzian/2015/10/1697023-esta-claro-ou-precisa-desenhar.shtml

[6] http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/10/1696867-renan-da-45-dias-para-governo-apresentar-defesa-sobre-pedaladas.shtml

[7] http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/lula-pede-que-todo-mundo-que-nao-roubou-chame-petistas-...

JM Almeida

João Maurino Sernaglia  Almeida Filho. Bacharel em Ciências Econômicas e Ciências Jurídicas. Professor liberal de Matemática Financeira Aplicada. Investigador da Filosofia. Investigador Criticista/Racionalista

Siga-nos no Twitter!

Mais de JM Almeida

Comentários

Notícias relacionadas