'Filósofa' feminista se auto-exila em Paris, bem distante da Venezuela...

Tiburi escreveu "Como Conversar com um Fascista" e defende o "assalto"

Marcia Tiburi passou 13 anos sob governo petista, com uma das mais altas taxas de homicídio do mundo, super tranquila. Era um mar de rosas e não sabíamos. Roubaram todas as estatais como urubus famintos; aparelharam o Estado como nunca antes na História deste país; perseguiram pensadores livres, jornalistas e até comediantes foram colocados em Lista Negra, por fazerem piada. Se Marcia Tiburi achava o Brasil tranquilo, Celso Daniel não poderia dizer o mesmo.

Agora, Marcia decidiu se auto-exilar em Paris, por não suportar dois meses de governo que não seja de esquerda. Esta é a margem de tolerância dos supostos advogados da pluralidade: dois meses. É insuportável. E quem reclamava do PT, após 13 anos, era intolerante, fascista, machista, homofóbico, violento, nazista, etc.

Marcia, além de mera espectadora do que o PT fez com o Brasil, filiou-se ao partido e disputou as últimas eleições para governo do Rio de Janeiro, onde o PMDB e seu partido fizeram a festa por anos. Não pode, portanto, fingir que é apenas uma artista ou intelectual distraída e falando/fazendo besteira: trata-se de uma cúmplice do que houve de pior no país e que, agora, com a leveza na consciência mais invejável do mundo, faz as malas e se vai.

Estranhamente, não mudará para o país vizinho com excesso de democracia, a Venezuela, mas para a Europa.

Espero que seu próximo livro se chame "Como conversar com uma hipócrita".

Comentários