Lula age, aciona tropa de choque, e consegue adiar votação sobre a ida de Bumlai à CPI

O ex-presidente Lula saiu a campo e conseguiu barrar a convocação do pecuarista José Carlos Bumlai na CPI dos Fundos de Pensão. A tropa de choque petista foi acionada e logrou êxito, partindo para a discussão do tema e forçando a sessão ser encerrada por causa do início da votação em plenário, o que inviabiliza a análise de requerimentos nas comissões. A discussão sobre a convocação de Bumlai deve ser retomada somente em novembro.
Bumlai é amigo de Lula e tinha acesso livre ao Planalto na sua gestão.
O operador Fernando Soares, o Fernando Baiano, afirmou ao Ministério Público ter pago a José Carlos Bumlai 2 milhões de reais em propina. Uma nora de Lula seria o destino final do dinheiro. A declaração foi dada em acordo de delação premiada firmado no âmbito da Lava Jato, que investiga o 'Petrolão'.
Os atos de Bumlai, porém, também o levam a irregularidades em fundos de pensão, foco da CPI que  tenta convocá-lo. 
Ainda de acordo com Baiano, o pecuarista esteve ao menos duas vezes no Instituto Lula para uma reunião com o ex-presidente e João Carlos Ferraz, então presidente da Sete Brasil, empresa criada pela Petrobras com bancos e fundos de pensão destinada a contratar navios-sonda. Foi durante uma dessas reuniões entre Lula, Ferraz e Bumlai que, segundo o delator, foi acordado o valor do repasse para a nora do ex-presidente.
O ex-presidente da Sete Brasil depôs à CPI dos Fundos de Pensão no início do mês e, na ocasião, confirmou ter participado de pelo menos dois encontros com Lula. 
"O depoimento de João Carlos Ferraz legitima a delação do Baiano. Agora, convocar o Bumlai é essencial", disse o presidente da CPI, deputado Efraim Filho (DEM-PB), que condenou a manobra dos parlamentares.
Em meio à discussão, a sessão acabou tendo de ser encerrada por causa do início da votação em plenário, o que inviabiliza a análise de requerimentos nas comissões. A discussão sobre a convocação de Bumlai deve ser retomada somente em novembro.
O pecuarista José Carlos Bumlai já foi citado diversas vezes durante as investigações do petrolão como o homem que representava os interesses do ex-presidente no esquema de corrupção da Petrobras. 
Bumlai é amigo e tutor dos filhos e dos negócios do ex-presidente. Durante uma década, sob sua batuta, a família experimentou os benefícios da ascensão social e financeira. 


                                 https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política