História “mal contada” de assessora de Marielle precisa ser investigada (Veja o Vídeo)

Câmera de segurança detectou uma assessora da vereadora Marielle Franco se dirigindo até o carro onde se encontravam os assassinos.

Segundo o G1, de acordo com as explicações do delegado Ginilton Lages, a assessora havia pedido um carro num aplicativo. O veículo tinha características semelhantes ao utilizado pelos criminosos e, pouco antes de puxar a maçaneta, ela se deu conta de que a placa era outra.

"Quando Marielle vai para o carro, juntamente com o Anderson e mais uma assessora, a Fernanda, uma outra assessora se dirige para um carro que ela tinha chamado de Uber. Só que a cor do carro coincidia com a cor do carro dos autores. E ela imagina que o carro dos autores é o carro do Uber dela", disse o delegado.
"Ela (a assessora) chega a tocar na maçaneta da porta, percebe que o carro está ligado. Mas rapidamente ela vê o carro que é o carro dela. Ela vê a placa e tal e desiste de puxar a maçaneta (do carro dos assassinos). Talvez nós tivéssemos um outro desenho, são coisas, detalhes da investigação que a gente acaba coletando", concluiu.

Para a polícia, os fatos foram relatados apenas como uma situação curiosa, detalhes das investigações que envolveram o crime.

É possível, e até provável, que realmente tenha sido isso o que aconteceu, mas, de qualquer forma, impõe-se a checagem da história.

O vídeo abaixo retrata o momento:

da Redação

Comentários