Deputada do PT que vivia questionando “Cadê o Queiróz?”, vira ré por desvio de salário de assessora

A mais enfática petista na cobrança de investigações sobre o caso Queiróz, aquela que tentava culpabilizar Flávio Bolsonaro sem que ele estivesse ao menos sendo investigado, agora é ré num processo crime em que é acusada de ter cometido o ilícito do qual acusava o senador.

É aquela velha máxima seguida à risca pelo PT: “Acuse o adversário do que você faz, e chame-o do que você é”.

Erika Kokay, uma mulher que em regra tem um comportamento que beira a insanidade, responde a prática criminosa do desvio de R$ 14,9 mil do salário de uma funcionária para a sua própria conta bancária.

Como se não bastasse, a mesma deputada também responde a um outro processo criminal onde é acusada de apropriação de imposto sindical e recursos públicos do Sindicato dos Bancários de Brasília.

O processo foi aberto pela entidade e apura o desvio de R$ 48 mil, na época que que a petista presidiu a entidade.

Em se confirmando ambas as denúncias, fica caracterizada a reincidência de Kokay na prática criminosa, o que fatalmente resultara na sua ida da Câmara para o xilindró.

da Redação

Comentários