TCE

Site “aliado” do PSOL tenta em vão desmentir o desinteresse do partido no desfecho do caso Marielle

Parece até notícia velha, mas não é!

Como sempre, tudo o que desagrada a esquerda é considerado "Fake News".

Até mesmo a tua opinião!

Estou me referindo à matéria do dia 29 de março, onde questionamos o desinteresse da mídia tradicional e da cúpula do PSOL no desfecho do caso, depois das prisões dos dois assassinos de Marielle Franco.

Desesperados com a repercussão da matéria, "eles" procuraram um site que é ‘famoso’ em descobrir farsas e bateram o martelo:

É tudo mentira!

Para piorar, o site, agindo como verdadeiro ‘procurador’ do PSOL, deixa claro que é a primeira vez que analisa um texto de uma coluna de "Opinião". (Me senti lisonjeada com a exceção e enojada com a soberba do site em rotular minha opinião como verdade ou mentira).

Quando o ex-deputado Jean Wyllys declarou na ONU que Bolsonaro está envolvido com a morte da vereadora, é a opinião dele, ou é "verdade ou mentira"? Por que não o analisam?

Ele pode ter uma opinião e eu não?

Opinião contra Bolsonaro pode, mas se desagradar aos olhos dos donos dos meios de comunicação, é FAKE NEWS!

Uma simples pesquisa na internet comprova o que o site tentou desmentir (não acreditem em mim, pesquisem e tirem suas conclusões!)

Basta pesquisar. O último discurso de Freixo sobre o assunto aconteceu no dia 12 de março. Depois disso houve algumas atualizações da mídia sobre a ação de uma advogada que desconfiou do próprio cliente, que é testemunha do crime, houve a divulgação do envolvimento de Marcello Siciliano como suposto mandante e por fim, a transferência dos presos.

Há um vídeo postado na página do partido, onde uma candidata eleita pelo PSOL passa algumas atualizações sobre o caso, sempre na tentativa de conduzir a culpa à (vocês sabem quem). No mais, "as provas" usadas pelo tal site para desmentir a percepção popular foram do tipo: "O PSOL continua com as páginas de apoio à Marielle” e as fotos no site oficial do partido.

Era só o que faltava apagarem até as fotos e páginas só porque estão quase descobrindo o mandante e ele não é quem vocês gostariam que fosse.

É notório (não só para mim) que diminuíram sensivelmente as investidas sobre a morte de Marielle.

Por outro lado, a repercussão da minha matéria foi recorde, incluindo personalidades da mídia e política. E mesmo com a estrondosa repercussão, o PSOL manteve-se silente, demonstração cabal do desinteresse do partido pelo desfecho das investigações. Só o site saiu em defesa do partido para decretar que a minha opinião era “Mentira”.

Aliás, a opinião dessa dezena de milhares também é uma farsa?

Como o tal site faz para desmentir uma percepção popular?

Irão usar a mesma regra que usaram para desmentir minha opinião?

Insistiram tanto que o mandante é alguém poderoso, mas justo agora que a pressão popular poderia forçar uma delação premiada para derrubar esse poderoso, vocês optam por deixar a polícia trabalhar em paz?

Nem combina com o PSOL, me desculpem.

Continuo com a opinião de que há uma absoluta decepção no ar, porque as investigações não irão levar à Bolsonaro.

Para mim, é impossível não usar a seguinte lógica para analisar essa morte:

Se Bolsonaro era aliado dos traficantes de armas, que aparelhavam o crime organizado, por que eles não apoiaram Bolsonaro?

Será que as facções iriam perder a chance de eleger "um deles" como Presidente do Brasil?

E caso Bolsonaro não seja um deles, então por que raios, numa cidade repleta de milicianos, ele contrataria justamente o vizinho de condomínio, que é segurança de um traficante para cometer um crime, em plena campanha? Não conhecia nenhum outro mais confiável? E o risco de ser chantageado em troca do silêncio, ou desmascarado?

Será que um militar estrategista não teria 10 minutos para criar uma emboscada numa das comunidades que Marielle frequentava?

Teria que ser no centro do Rio de Janeiro, algo meio cinematográfico, para mandar recado aos demais (típico comportamento do tráfico). Uma bala perdida na favela não resolveria o assunto? Por favor, não subestimem a inteligência desse povo sofrido, nos levaram quase tudo, mas restaram uma meia dúzia de neurônios funcionais.

Aí perguntam: Mas você não acha muita coincidência ele morar no mesmo condomínio?

Respondo: CLARO QUE NÃO!

Os bandidos estavam colados na família Bolsonaro, há dois anos!

Possivelmente por conta de Flávio, que também tinha suas desavenças com Siciliano e milicianos que trabalham para o tráfico.

Só para esclarecer, a milícia se divide em dois grupos distintos:

Um lado "limpa a área" para proteger a polícia.

Outro lado "limpa a área" para proteger as facções.

Adivinha qual lado apoia Bolsonaro?

Obrigada pela leitura!

Para destilar seu veneno, minhas redes sociais:

Instagram:

https://instagram.com/raquelbrugnera

Facebook:

https://www.facebook.com/raquel.brugnera

Twitter:

https://twitter.com/RaquelBrugnera

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários