A impossibilidade do “argumento” com os infames “vendedores de narrativas”

Argumentar com vendedores de narrativas é ato nulo:

1) Não sabem o que é argumentação e acham que tudo é uma briga eterna;

2) Não entendem que as pessoas são diferentes e, por isso, enxergam o mundo de sob distintas formas. Vendedores de narrativa querem apenas uma versão da História;

3) Não aceitam pluralidade. Querem carta branca que escrever sobre o passado, dominar o presente e interferir no futuro;

4) São demasiadamente chatos.

Tanto que, em pleno Século XXI, na era das redes sociais e da explosão horizontal da informação, têm a ousadia infame de pretender a verticalização pensamento.

Traduzindo: tornam-se os verdadeiros censores.

Não se engane: já que agora temos "lados", esta mensagem vale para quem está à esquerda, à direita, ao centro e até de ladinho.

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Comentários