A barata voa contra Bolsonaro...

Discussões infindáveis povoam as redes sociais, hoje, como se fosse de vital importância para o país determinar se há 55 anos houve ou não golpe militar ou a extensão dos danos causados pelo regime - ou ditadura, como queiram.

Ou se é permitido ao presidente comemorar essa data, como comemoraram os governos de esquerda eventos como a revolução de Cuba, posse de Chavez, aniversário da execução do cachorrinho gay de Che Guevara ou a nova coleção de agasalhos Adidas comprada por Fidel.

Não houve, naturalmente, grande alarde da imprensa na época dessas festinhas comunistas, já que eram todos parceiros, imprensalha e politicalha.

Hoje, entretanto, nada do que Bolsonaro e sua equipe faça escapa ao crivo dos vigilantes ‘jornalistas’.

O que deveria servir para que o presidente entendesse que, diante das necessidades prementes do país, questiúnculas como a comemoração ou não da data da revolução de 64 são irrelevantes.

Que é hora de fazer um governo realmente novo, visando o crescimento real do país.

Discutir história é para historiadores, e não para políticos, que deveriam estar mais interessados no caos que é a Saúde Pública, a Educação, etc.

Não que a equipe de Bolsonaro esteja deixando isso de lado.

Não está.

Mas esse tipo de debate improdutivo não leva absolutamente à coisa alguma, apenas alimenta os famintos camarões e sua imprensa alugada.

E dispersa.

A perda de foco decorrente dessa confusão generalizada pode ser fatal.

Porque embaralha tudo.

Mistura o enfrentamento ao verdadeiro inimigo da nação - o sujo STF - à uma inútil discussão sobre o que é nazismo ou socialismo.

Ou a resolução e aprovação da Reforma da Previdência, vital para os brasileiros e para o governo, às fofocas sobre o que o gorducho chileno naturalizado Rodrigo Maia cantou no banheiro.

Tudo isso é ruído.

E pretende dividir o povaréu incauto e de saco já estufado.

Bolsonaro tem nas mãos a chance única de mudar este país.

Para melhor.

Fazer isso ou não dependerá de focar suas ações no que realmente interessa.

E ignorar o lixo despejado por redes globo e afins.

Em última análise, o clima de barata voa só favorece à esquerda hoje fora do poder e aos verdadeiros inimigos do país.

Marco Angeli Full

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários