MPF identifica repasses de R$ 13 milhões da Odebrecht a Zé Dirceu e ao filho “Tchutchuca”

Um relatório técnico do Ministério Público Federal aponta que a empreiteira Odebrecht repassou, entre 2008 a 2012, pelo menos R$ 13 milhões a um codinome atribuído ao ex-ministro José Dirceu.

O documento, datado de novembro de 2018, foi juntado a uma investigação sobre Dirceu e seu filho, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR), que tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF), mas acabou remetida à Justiça Eleitoral do Paraná em março deste ano pelo ministro Edson Fachin.

Segundo o relatório, nos sistemas Drousys e MyWebday B, usados pela Odebrecht para contabilizar pagamento de propinas, foram encontradas evidências de que a empreiteira “realizou diversos pagamentos entre os anos de 2008 e 2012, totalizando pelo menos R$ 13 milhões, em favor do codinome ‘Guerrilheiro'”.

O relatório ainda responde a um pedido de informações sobre o suposto pagamento de R$ 500 mil ao deputado Zeca Dirceu, que, segundo o colaborador, havia sido solicitado pelo seu pai. Metade teria sido paga em 2010 e a outra metade em 2014, segundo o delator Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis.

Assinado pelo perito criminal federal Gilberto Mendes, o documento foi encaminhado ao procurador José Ricardo Teixeira Alves.

Fonte: G1

Comentários