PSOL invade ideologicamente as cadeias e se alia aos criminosos

Outros grupos de esquerda seguem o mesmo caminho idealizado por filósofo Herbert Marcuse.

Na metade do século passado, os filósofos do Marxismo entenderam que a classe trabalhadora não faria nenhuma revolução. Por pior que fosse a vida, ainda era muito melhor do que a de seus avós. Ao contrário do que observou Engels, a Revolução Industrial deu-lhes acesso a bens e serviços impensáveis até para os reis de 200 anos antes. Teriam, então, que encontrar outra massa de manobra.

Enquanto Gramsci se aprofundou na teoria de "tomada de espaços", principalmente da mídia e das escolas, Marcuse desenvolveu a teoria do Lumpemproletariado. Segundo o sociólogo alemão, a revolução deveria ser feita através dos "marginalizados".

O raciocínio é diabolicamente simples. Bastava dar "poder" aos criminosos e trata-los como "vítimas do sistema". Assim, o Estado regular encontraria resistência para combate-lo (afinal, são apenas vítimas) e fragilizariam as estruturas sociais, instalando o caos.

Quando li essa teoria, me senti um rato de laboratório, sendo manipulado dentro de uma grotesca experiência de reengenharia social.

A maioria da "militância" desconhece Marcuse. Normal. Augusto Comte já dizia que a vida dos vivos é determinada pelos mortos, muitas vezes dos quais nunca ouvimos falar. Não por isso deixam de seguir sua filosofia.

Pra quem duvida, busque as notícias. Veja o PSOL "tomando ideologicamente" as cadeias, junto com os "coletivos" de Direitos Humanos; Veja a ligação do PT com o PCC, denunciada pelo próprio Palocci; Ouça uma candidata a Governadora de estado dizendo que "vê lógica no assalto".

Não é obra do acaso termos, hoje, 60.000 mortos por ano, uma polícia sem estrutura e uma população desarmada.

Tudo isso foi estrategicamente pensado, escrito, analisado e colocado em prática, como forma de revolução silenciosa.

Ninguém precisa acreditar em mim. Apenas busquem informações. Os nomes eu já dei. Quem tiver curiosidade, que veja com os próprios olhos.

Quem sabe, assim, vocês deixam de sujar as mãos de sangue inocente, enquanto são manipulados por canalhas.

Nota da Redação

Assista o vídeo abaixo do ex-presidiário Roberto Jeferson, que ilustra bem a situação abordada no artigo.

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

Comentários