Mesmo com a tese que reconhece o crime de corrupção, recurso de Lula deve ser negado

O recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prestes a ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), aumentou sensivelmente suas chances de não ser acatado pela corte.

O ex-deputado Eduardo Cunha, cuja tese defensiva é idêntica à de Lula, acaba de ter o seu pleito negado, justamente pela 2ª turma do Supremo Tribunal Federal (STF), aquela que normalmente é benevolente com criminosos do 'colarinho branco'.

Eduardo Cunha foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A defesa queria anular a condenação pelo segundo crime.

O argumento de Cunha é um dos usados por Lula no recurso à condenação de 12 anos e um mês no caso do triplex.

A defesa de Lula pediu ao STJ que no caso de ser mantido o crime de corrupção passiva, que seja eliminada a lavagem de dinheiro.

O recurso de Lula será examinado pela Quinta Turma do STJ, que conduz a Lava-Jato, em data ainda não agendada. Em seguida, caberá à Segunda Turma do STF analisar a questão.

A negativa para Cunha é péssima para as pretensões de Lula.

da Redação

Comentários