Só os tolos ainda acreditam no Datafolha e no Ibope (Veja o Vídeo)

DATAFOLHA e IBOPE - instituições sem credibilidade.

Quem ainda cai nas estatísticas destes institutos de palpites?

Só os tolos, ingênuos, os desinformados e os incautos. Gente ignorante. Do verbo ignorar, ou seja, que desconhece o mínimo razoável sobre qualquer assunto.

Ou do adjetivo ignorante, que mesmo tendo informações e vendo a verdade dos fatos defronte dos olhos, despreza de má-fé a veracidade do que enxerga.

Em ambos os casos, são patéticos.

Hoje a grande mídia novamente tentou induzir a nação brasileira ao erro. Comportando-se como arauto da primazia da informação, o Datafolha publicou pesquisa dando contas que esmagadora maioria da população se posiciona contra os fundamentos das medidas de combate à corrupção, à violência urbana e ao crime organizado propostas pelo Ministro Sérgio Moro ao Congresso Nacional.

Não precisa muito para se perceber o que está atrás desse jogo sujo.

Para saber o que pensam os brasileiros sobre esse assunto, basta perguntar em casa, aos colegas de trabalho, aos amigos ou nas esquinas.

O combate ao crime e à corrupção tem apoio unânime dos brasileiros. Em todos os Estados, em todas as cidades, em cada rua, em cada casa.

A pesquisa veiculada é mais um vergonhoso grande chute.

A grande mídia tenta desconstituir governo.

Chegam a ser triste e cômico os dados publicados. No mais, sobre essas questões os brasileiros já decidiram duas vezes de modo arrasador e democraticamente.

Uma no plebiscito de 2005; outra, de forma também contundente, nas eleições de 2018.

A Folha de São Paulo vive momentos duros. Um racha no seu controle societário, que já redundou em mudanças radicais no seu "conselho editorial" (acabaram trocando seis por meia dúzia). Míngua a olhos vistos com a queda do seu conteúdo publicitário e enfrenta o rigor da redução drástica dos seus leitores e assinantes. Mas insiste (junto com as "companheiras") na velha mania de achar que pode seguir conduzindo a população como se fossemos uma manada de asnos. E não está só. Junto com a Globo/IBOPE e com o Estadão, vivem uma crise severa de credibilidade.

Ninguém mais confia nessa gente nem nas suas "pesquisas".

Os "quatrocentões" paulistas e cariocas não enganam mais ninguém!

Está claro que há uma tentativa de manipular a opinião pública para enfraquecer os governos.

Governos fracos precisam pagar caro pelo silêncio editorial. Mas esse tempo se foi.

Estamos no meio da 4ª Revolução Industrial, que chamaria de "Revolução Cultural Tecnológica". Cada um de nós é um gerador de conteúdo e um fiscal da verdade. Verdade que não pode mais ser omitida, adulterada, maquiada ou induzida com viés de preservar interesses de grupos e de minorias. Ou para o fim de sustentar empresas jornalísticas que querem seguir ganhando rios de dinheiro pago com suor pela população que não aceita mais ser esfolada.

Estamos assistindo aos últimos suspiros da mais retrograda imprensa do mundo. E estão morrendo por estarem entorpecidos e envenenados por mentiras que fabricam, reportam e que se voltam contra as suas próprias cabeças.

Um fim previsível. E cá entre nós, merecidíssimo!

"Requiem aeternam"!

Assista ao vídeo:

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia.
@LCNemetz

Comentários