Tudo começou quando foi sentenciada a prisão de um humorista

Quase tudo já foi dito sobre a condenação do Danilo Gentili, exceto uma coisa. Há uma parte da sentença que fala que além de ofender a digníssima Maria do Rosário, Gentili teria "manchado a imagem dos servidores públicos".

Mas como assim? Quem assistiu o vídeo que o comediante fez em resposta à moção de censura se lembra de alguma parte onde ele tenha ofendido os servidores como um todo? Claro que não, Danilo não fez isso. Acontece que, em diversas partes do vídeo, o humorista lembrou a ilustríssima deputada do PT de que é o povo que paga o salário dela, e que por isso, é ela que deve explicações ao povo e não o contrário.

Ora, acontece que há muitos juízes e juízas que não gostam de serem lembrados que seus salários são pagos com os impostos recolhidos dos trabalhadores da iniciativa privada e do funcionalismo de baixo escalão.

Eles não gostam de lembrar que estão lá para SERVIR! Eles não gostam de lembrar que nos DEVEM satisfações. Tem muito juiz por aí que se enxerga como um nobre, um fidalgo a quem todos devem obedecer e mostrar subserviência. Principalmente 'juizecos' de viés trabalhista, socialista e/ou marxista que possuem muito apreço pelo poder do estado e desdém pela iniciativa privada.

A verdade é que o sistema judiciário brasileiro é uma máquina de rasgar dinheiro do contribuinte, custa caro, é um dos mais ineficientes do mundo, além de viver passando a mão na cabeça de traficantes, assaltantes e assassinos. Nesse sentido, a fala de Danilo Gentili soou como uma representação da indignação que o povo vem nutrindo pela justiça brasileira e consequentemente, transformou o comediante numa espécie de personificação de toda essa revolta contra o judiciário.

Em outras palavras, o que a juíza viu na sua frente não foi um simples humorista, mas sim um rebelde, um criminoso, alguém para ser feito de exemplo e amedrontar a todos que ousem falar em impeachment de ministros do STF, Lava Toga, fim de auxílio moradia e CPI do judiciário.

Olhando por essa perspectiva, a condenação de Danilo não foi apenas um ataque à liberdade de expressão, mas um ataque ao próprio anseio do povo por uma justiça mais justa.

Felipe Branco

Cristão conservador, estudante de direito e aspirante a escritor.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários