A doação de Lily para Notre Dame e as doações petistas para ditaduras socialistas

Inacreditável que ainda esteja em pauta o assunto "doação milionária de Lily Safra para a reconstrução da Catedral de Notre Dame e não para o Museu Nacional".

Vamos esclarecer algumas coisinhas?

1. Em primeiríssimo lugar, o dinheiro é dela, absolutamente privado, e pode ser doado para quem ela bem entender. Isso é fundamental, porque no Brasil temos o péssimo hábito de querer monitorar e controlar tudo, inclusive e principalmente a vida privada;

2. No Brasil, os 30 anos da esquerda "no controle de tudo" acabou impregnando na sociedade a demonização do capital privado. Ficar rico é suspeito. Tornar-se um milionário é um acinte. Daí, doações desses acintosos suspeitos para bens públicos não são bem-vindas. Só valem aquelas por fora, para benefício pessoal de fulano e beltrano, grana roubada para tríplex, sítio, helicóptero, jatinho, dinheiro sujo e malocado que o sujeito pode negar ter recebido até o fim dos tempos;

3. Na França, por exemplo, há uma série de incentivos fiscais para doações a projetos e equipamentos culturais. No Brasil, se o cara doar uma grana para a Cultura e, como contrapartida, seja colocada uma plaquinha (que seja!) com o nome do doador, serão acionados conselhos setoriais, TCE, TCU, Poder Judiciário, Polícia Federal, STJ, STF e o cidadão pode terminar preso.

Se Lily fosse doar para o Museu Nacional, seria necessário a abertura de um edital ou a obrigatoriedade de doação para o Fundo da Cultura, gerido pelo Conselho de Cultura, sendo vedado que o doador escolha o destino do dinheiro doado. Quem decide é o conselho;

4. Para além da burocracia estatal para doações, ainda há o risco do dinheiro doado ser roubado por um dos muitos pilantras que infestam a administração pública no Brasil.

Se vivemos num país onde até caneta Bic de casa lotérica precisa estar presa com corrente, o que esperar de dinheiro doado?

5. Se todas as pessoas que estão incendiando as redes sociais com críticas à doação de Lily Safra à França tivessem feito o mesmo quando Lula e Dilma pegaram bilhões do dinheiro público dos otários nacionais pagadores de impostos e doaram para Cuba, Venezuela e outras ditaduras, certamente teríamos um país melhor.

#DeixemALilyEmPAZ

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Comentários