Por que ateus e não cristãos devem comemorar a Páscoa?

Pense em 10 cidades onde você gostaria de constituir família e viver para o resto da vida.

É bem provável que a maioria delas tenha modos de vida que se desenvolveram com base na cultura ocidental, que por sua vez foi fortemente influenciada pelos paradigmas de amor e de perdão estabelecidos pelo cristianismo.

A política, a quem muita gente atribui a influência nos modos de vida, na verdade deriva da cultura, que por sua vez deriva da forma como o ser humano se relaciona como ele mesmo e com o que o transcende, ou seja: deriva da religião.

Quer você acredite ou não em Cristo, foi o cristianismo que estabeleceu as noções de um Deus que ama e que perdoa, que desce até o homem para dar lições de humildade, fé, caridade, e para ensinar o caminho da vida eterna ao lado dEle.

Pode ser difícil entender isso hoje em dia, após séculos de degeneração incentivada por ideologias revolucionárias e anticristãs, mas essas noções moldaram as bases da cultura ocidental quando a Europa foi cristianizada.

Infelizmente, as escolas abordam a história do cristianismo sob uma ótica pobre e negativa, tal como as almas que ministram essas aulas, fornecendo apenas noções parciais e enviesadas sobre cruzadas, inquisição e colonizações.

Felizmente, quanto mais atacam o cristianismo, mais as igrejas enchem, e delas vêm surgindo indivíduos motivados a resgatar a cultura que nos legou modos de vida que julgamos melhores do que dos locais onde não queremos viver.

Então, em vez de apenas comer chocolate e ficar achando que o cristianismo é uma bobagem, abra mente e veja como é importante comemorar a Páscoa cristã, a não ser que você prefira, de verdade, morar em países ateus ou onde a influência de outras religiões é mais marcante.

Para cristãos, obviamente, o significado da Páscoa é bem mais profundo, mas para estes não é preciso que eu comente a respeito. Feliz Páscoa a todos!

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários