Só Poesia: ENCONTREI

Em teu olhar O brilho alegre Da minha face nua Refletida Num espelho límpido.Em teu beijo O gosto perfeito.

**ENCONTREI**

Em teu olhar

O brilho alegre

Da minha face nua

Refletida

Num espelho límpido.

Em teu beijo

O gosto perfeito

Atingiu-me como punhal

Labareda que rasga e queima...

Bebi em teus lábios

A essência da vida.

Em teu toque

O glorioso estímulo

De uma carícia que

Como prelúdio enobrece

Transformando

Todo materialismo do pecado,

Na mais doce e fiel harmonia

De duas almas fundidas

Consumando o mais sublime

Ato para que fomos criados.

Em tua alma

O mais intenso fulgor

Cheia de cores e sabores

O brilho de tuas mãos

Tocou meu universo

E levou-me ao infinito!

*Má Salvatori *

**Amo-te porque te amo**

Amo-te porque te amo,

Não! Não tenho, nem quero explicação

Sou dono da minha razão

Porém, não sou do coração.

Amo-te sem mesmo te conhecer,

Sem ao menos te tocar,

Sem sentir o calor do seu prazer

Nem sua maneira de amar.

Se disseres que é loucura,

Carência ou fantasia

Ou que não passa de uma ilusão!

Só sei que você me proporciona alegria

E faz bem pro meu coração.

Se pudesse escolher quem amar,

Certamente, não haveria sofrimento

Pois, somente iríamos nos entregar

Por quem não ferisse o sentimento.

*Ataíde Lemos*

**Amada**

Sigo sozinha em uma estrada florida

Sentindo o perfume das flores ...criando vida

Sonhando um amor que não posso alcançar

Tornei-me intocável...apenas no teu olhar.

Mas é deste vislumbrar que me sustento

Como sol que aquece um lindo sorriso

Sigo meu caminho colhendo cada momento

Para enfeitar minha imaginação com teu riso.

É assim que minha doce alma se envaidece

Mesmo que deste amor eu não tenha nada

Como cristal lapidado pelo sol que aquece...

Um coração feito flor desejosa e imaculada,

No esplendor radiante que me enobrece

Fazendo de mim tua pura e eterna amada!

*Mi*

**QUE SAUDADE **

Ah... Que saudade...

Que vontade de estar pertinho de ti

Contemplar os teus olhos tristonhos

Por neles um pouco dos meus sonhos

E neles me embriagar.

Ah... Que saudade...

Do teu ser que eu não esqueço

Do teu corpo que tão bem conheço

Dos teus braços que anseios os abraços

E dos teus lábios que em sonhos senti.

Ah!...que saudade...

Do teu rosto meigo e sereno

Das tuas mãos e do teu carinho

Da tua voz que me acompanhada

Por todo e qualquer caminho.

Ah!...Que saudade...

Do tempo que ficou para trás

Das noites em que eu me aprontava

E tão feliz te esperava

Para um sonho que não vivi.

*Doroni Hilgenberg*

**Silêncios e Ecos do Coração**

Sou um silêncio incontido

que cala alguns sonhos

e que grita sem ecos

todas as dores do amanhã

Sou um grito contido

que retumba incessante

entre as frestas do tempo

e escorre pelo meu passado.

Sou as cores sem mais pigmentos

e os espinhos encravados no peito

que resguarda meus ventrículos

enquanto o meu coração para de bater.

Sou um desejo convalescente

e pertinente como uma chuva de estrelas

e de amores impávidos e reais

entre todos os seres que tem sentimentos.

Sou uma vontade que derrama insanidades

por sobre as paixões sem reciprocidade

e tão platônicas como nuvens de beijos

eu corro pelas vias de uma eternidade.

*Jonas R. Sanches* 

Maria Catherine Rabello

Pernambucana, amante da poesia. “Amo minha vida e todos que fazem parte do meu mundo. Poesias são sonhos vividos, lembrados ou desejados. Poesia acalenta a alma e o coração. Sonhar é viver, viver feliz! Amo poesias, poesias de amor sempre! Sou sonhadora e feliz. Meus rabiscos são meus segredos, meu baú de sentimentos. Apresento lindas poesias de muitos corações iguais ao meu. Amar sempre!

Mais de Maria Catherine Rabello

Comentários

Leia mais...

Mais em Mundo da Poesia