TCE

Olavo quer evitar que militares do governo choquem novo "ovo de serpente" (veja o vídeo)

A treta entre Olavo de Carvalho e General Mourão levanta um tema sem o qual é impossível entender o Brasil: o Positivismo, corrente ideológica revolucionária que mais influencia a política em toda a história da nossa República, até hoje.

Sendo o positivismo uma ideologia revolucionária, ela é anticonservadora. Eis a base das críticas de Olavo aos militares do governo Bolsonaro, para evitar que erros cometidos no governo militar se repitam.

No governo militar, graças à diretriz positivista que ignora a política e acha que tudo se resolve com gestão eficiente feita por técnicos capacitados, o Exército combateu de forma competente a esquerda armada, mas deixou a esquerda intelectual crescer na educação e na cultura.

Na prática, o governo militar chocou o ovo da serpente que viria a eclodir a partir do fim dos anos 80.

O positivismo dos militares matou qualquer possibilidade de surgir uma boa política, deixando, na redemocratização, de um lado, uma direita fisiológica e não representativa e, de outro, uma esquerda intelectual que tinha aparelhado a educação, a cultura e as instituições.

No final das contas, o que vimos em 2018 foi a união de todos desse establishment político contra único suspiro de pensamento conservador que renasceu no Brasil com Olavo de Carvalho e chegou a poder junto com Bolsonaro.

E por que o pensamento conservador incomoda positivistas? Porque conservadores preferem que as leis e a política emanem dos costumes, de baixo para cima, enquanto os positivistas preferem que as leis sejam feitas de cima para baixo, por técnicos supostamente iluminados.

Confira no vídeo:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários