Tudo para os amigos! Normas do BNDES foram burladas para favorecer Bumlai

Norma interna do BNDES foi simplesmente ignorada para que R$ 100, 5 milhões pudessem ser emprestados ao empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


O banco não concede, em hipótese alguma, empréstimos a empresas cuja falência tenha sido requerida na Justiça. A única exceção na história é justamente a empresa do empresário.

O apoio do BNDES em julho de 2012, veio em momento que o empresário enfrentava sérias dificuldades financeiras em seus negócios. Nove meses depois da operação, a empresa de Bumlai entrou na Justiça com pedido de recuperação judicial por não conseguir pagar as dívidas que tinha no mercado.

Na época em que conseguiu o crédito do BNDES, o empresário já tinha sido alvo de um pedido de falência, apresentado à Justiça em novembro de 2011 por um fornecedor que levara calote numa dívida de R$ 523,2 mil.

A São Fernando Energia 1, empresa de Bumlai que recebeu os R$ 101,5 milhões, foi criada para produzir eletricidade a partir de bagaço de cana. Junto ela, mais cinco empresas do grupo de Bumlai vivem situação pré-falimentar.

O grupo São Fernando acumula dívidas de R$ 1,2 bilhão. O principal negócio é uma usina de etanol em Mato Grosso do Sul, teve a falência requerida na Justiça pelo próprio BNDES e pelo Banco do Brasil mais tarde, porque não tem conseguido honrar os pagamentos que se comprometeu a fazer no processo de recuperação judicial.

Incluindo empréstimos recebidos antes da operação feita em 2012, o grupo deve R$ 330 milhões ao BNDES. Parcelas da dívida de Bumlai com o banco estão atrasadas desde o fim do ano passado. Os pedidos de falência feitos pelo BB e pelo BNDES foram apresentados à Justiça em julho e agosto deste ano.

                                              https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política