As duas teorias sobre Mourão x Carlos: o morde e assopra

Na capa da revista Veja, o vice presidente Hamilton Mourão foi retratado como o líder da revolução comunista chinesa Mao Tsé Tung.

O texto o chama de “O inimigo imaginário” de Bolsonaro e faz os esquerdistas delirarem de prazer ao imaginarem que o vice possa derrubar o presidente. O texto repleto de teorias de conspiração tem duas finalidades bem claras:

- Dar esperança aos esquerdistas que ainda não superaram as eleições passadas e já não sabem mais o que fazer para impeachmar Jair.

- Acirrar ainda mais os ânimos entre Olavistas e o vice, legitimando a ideia de "crise interna".

Mas há outras duas teorias que ganham força e a revista prefere ignorar:

Teoria 1: Considerando que o General Mourão não chegaria onde chegou no exército se não tivesse a noção de hierarquia e disciplina (sempre haverá alguém que manda em você e teu papel é apenas acatar ordens, independente de concordar, ou não), dificilmente ele estaria se rebelando contra toda ideologia do governo e das forças armadas, apenas para ajudar o partido de Levi Fidelix a angariar aliados no congresso. Essa teoria não me convenceu (ainda).

O que pode ter acontecido nesse caso, é que Olavo de Carvalho, filósofo, guru de muitos membros da direita, um senhor de personalidade excêntrica (como a maioria dos filósofos são), acompanhou os desmandos da esquerda por muitos anos e fez um grande esforço para manter o conservadorismo vivo entre os brasileiros, mesmo saindo do país em 2005, por causa da eleição de Lula.

É compreensível que Olavo esperava de Bolsonaro e Mourão, um revide, uma espécie de vingança política contra a esquerda, uma revanche que não veio. Pelo contrário...

Conhecemos um presidente mais comedido nas palavras do que o deputado Jair, além de um vice presidente mais simpático a imprensa do que aquele General das eleições.

O fato é que a imprensa e a esquerda estão namorando Mourão e isso não é ruim para o governo!

Teoria 2: Carlos Bolsonaro fez tanto alarde pra chamar atenção sobre o posicionamento político que Mourão tem tomado ultimamente, para que a imprensa perceba que Mourão é o "lado esquerdo" do governo e que Bolsonaro é o "lado direito" da dupla? E que ambos governam para todos?

Lógico que se for "inimigo" de Carlos, será amigo da imprensa! Eles sabem disso!

Imaginem a decepção da direita brasileira, se o presidente começasse a frequentar e dialogar em ambientes estritamente de esquerda, ele seria atacado pelos próprios eleitores mais radicais. Qual a solução? Mandar o vice!

Justamente o vice presidente que foi duramente atacado pelas declarações durante as eleições, hoje "mudou" completamente seu posicionamento? Duvido!

Estrategistas como poucos, dois militares, acostumados a se sacrificaram em nome de causas, não seria difícil para eles chegarem num acordo:

BOLSONARO - "Ohhh Mourão, a partir de hoje você só fala o que a imprensa quer ouvir, se eles demorarem pra perceber o Carlos arruma uma briga aí contigo, dá umas tuitadas e a imprensa começa a te defender, aí o Brasil terá um presidente de direita e um vice de esquerda, taoquei?"

MOURÃO - Selva!

Essa segunda teoria começa a ganhar força entre os articulistas conforme o tempo passa e nenhuma decisão foi tomada a favor das pautas da esquerda, o que tivemos foram apenas declarações de afagos aos ouvidos esquerdistas e eles estão encantados!

Jair morde, Hamilton assopra...

O que vocês acham sobre as duas teorias?

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários