Grampo flagra o nome de Gilmar sendo utilizado como "cartão de apresentação" do IDP (Ouça o Áudio)

A função de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) é absolutamente incompatível com a atividade empresarial.

A situação se torna ainda pior quando o nome de um ministro é utilizado em ‘negócios’ com empresas que tem interesses junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

É o que se vê num grampo telefônico captado pela Polícia Federal, que registrou uma ligação de Dalide Corrêa, ex-braço-direito de Gilmar Mendes, para Ricardo Saud, lobista da JBS e protagonista do acordo de delação premiada da empresa com o Ministério Público Federal.

Aliás, é absurdo o número de vezes em que grampos da PF captaram algum tipo de relação de pessoas investigadas com o ministro, isto quando não flagraram o próprio ministro, como nos casos envolvendo Aécio Neves e o ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa.

No áudio abaixo, Dalide faz contato com Saud e despudoradamente usa o nome de Gilmar.

Parece que Kajuru está coberto de razão.

Fonte: Revista Crusoé

da Redação

Comentários