De olho nas próximas eleições, redes sociais começam a banir conservadores

"Quando você corta a língua de um homem, você não está provando que ele é um mentiroso. Está apenas dizendo ao mundo que você tem medo do que ele pode dizer." - (G.R.R. Martin)

Não é segredo pra ninguém que as empresas do conglomerado Big Tech das mídias sociais (Google, Facebook, Twitter, Instagram) são majoritariamente compostas por funcionários com viés de esquerda. Fato já assumido, sob juramento, pelo próprio Mark Zuckerberg.

Também não é segredo, que foi através das mídias sociais, que conseguimos nos libertar (ao menos em parte) da hegemonia cultural esquerdista. Hegemonia essa que nos escondia políticas e autores conservadores e demoniza tudo que não seja de esquerda.

Ao menos dois presidentes foram eleitos graças à essa quebra de hegemonia. Trump nos EUA e Bolsonaro no Brasil.

Óbvio então, que a esquerda iria contra-atacar, e mais óbvio ainda que não fariam isso no campo das idéias, pois perdem 11 de cada 10 debates contra conservadores. A esquerda quer impedir a direita de falar. Sabem que quando a direita fala, os argumentos da esquerda viram pó. Por isso é muito mais fácil rotular tudo que for de direita como "extrema-direita" e "discurso de ódio". Depois basta banir os conservadores fingindo preocupação com o bem estar da sociedade.

Praticamente TODOS os jornalistas conservadores que ajudaram Trump a ser eleito, foram banidos das redes sociais. Sempre com a mesma justificativa do "discurso de ódio", um termo extremamente genérico que pode ser interpretado a bel prazer do censor. E as Big Tech não bane apenas das redes sociais, também impedem que os jornalistas tenham contas bancárias ou revendam seus produtos online.

Basicamente apagam a existência da pessoa na internet. Tudo pelo crime de expôr opiniões conservadoras. Opiniões essas que afastam o público da esquerda e de seus políticos.

A imprensa aplaude como sempre. É a maior interessada em que tudo volte a ser como era.

Trump precisa agir já para regular essas companhias, precisa OBRIGÁ-LAS a honrar a liberdade de expressão e a dar equidade no tratamento de opiniões. Do contrário não terá ninguém, para defendê-lo quando a esquerda começar a atacá-lo nas eleições do ano que vem.

Jair Messias Bolsonaro, não espere chegar a esse ponto. Atue agora para acabar com a perseguição à conservadores pelas corporações. Seu mandato e seu governo estão em risco.

(Texto de Frederico Rodrigues).

Comentários