O objetivo das Fake News é impedir negócios do país com os investidores internacionais

Hoje vamos falar de estratégia de marketing político e não só de estratégia política.

O que motiva a imprensa inventar um fato, mesmo sabendo que será desmentido na sequência?

Bem, primeiro eles usam uma técnica do marxismo, repetem a mesma fala em blocos, então, "Se tá todo mundo falando, é verdade".

Segundo, toda notícia tem um foco, um público alvo. Ninguém é imparcial! Ninguém!

Quando eu conto algo para vocês, não estou sendo imparcial, eu estou tomando um lado, de alertar que os fatos noticiados não são bem assim, mesmo sabendo que a esquerda irá me ignorar, só isso já me faz parcial, certo?

O alvo das notícias que estão sendo divulgadas e desmentidas, são dois:

- Manter a militância na ativa! (isso referente ao Lula, hora ou outra ele vai aparecer para manter seus adoradores emotivos e motivados).

E o foco principal:

- Os INVESTIDORES INTERNACIONAIS.

Relembrem, no primeiro ano de Lula presidente, a China veio às compras e jorrou dinheiro na venda de commodities, os brasileiros sentiram o dinheiro girando no mercado e até hoje dizem que "Lula melhorou a economia", porém, ele restringiu o comércio com alguns países e preferiu manter negócios só com países do mesmo viés ideológico.

Hoje, temos investidores de todas as vertentes ideológicas querendo comprar nossos produtos e temos um governo que aceita negociar. Nosso ministro da economia é um liberal econômico e os liberais visam lucro.

Então, quanto mais a mídia divulgar crises no governo, mais os investidores ficam com receio de investir num país onde o presidente pode cair a qualquer momento e aguardam a "crise passar" para abrirem negociações.

Resumo:

A notícia é dada por todos os canais importantes, os investidores estão atentos pelos canais fechados da TV, na sequência o governo desmente, mas ninguém noticia o desmentido da mesma forma que divulgou a notícia!

A mídia vira um trampolim para jogar a verdade fabricada para o resto do mundo, mas o "desmentido" não terá o mesmo efeito.

O pavor da imprensa (e dos partidos da esquerda e "centrão") é que o resto do mundo resolva fazer o que a China fez em 2003:

Venham às compras!

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários