Oposição provoca Guedes e leva rebatida do ministro: "Se googlar ‘dinheiro na cueca’ aparece, né?” (veja o vídeo)

A comissão especial da Câmara que discute a reforma da Previdência, realizada nesta quarta-feira (08), mais uma vez foi marcada por polêmicas provocadas pelos opositores da reforma.

Uma das polêmicas se iniciou com a fala da deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) ao ter feito referência a uma investigação da operação Greenfield, sobre fundos de pensão, que cita Guedes. O ministro respondeu:

"Para a deputada Perpétua, depois vou para um canto e explico para ela o problema de quando tentam confundir quem assaltou… Vai na operação Greenfield, quem está na cadeia, quem está na Justiça, e vai ver quem assaltou os fundos de pensão e quem devolveu três vezes o dinheiro que eles botaram. Não posso ser acusado do que vários companheiros da deputada podem estar sendo acusados."

Outro ponto de tensão foi após a pergunta realizada pelo deputado petista José Guimarães, irmão de José Genoino (ex-presidente do Partido dos Trabalhadores). O deputado havia questionado sobre o custo de transição para o regime de capitalização proposto pelo governo.

Impaciente - e com razão - com as inúmeras calúnias proferidas por membros da oposição à sua pessoa, Guedes rebateu à altura:

"O custo de transição, respondendo ao nosso deputado José Guimarães… Também se eu "Googlar" dinheiro na cueca vai aparecer coisa, né? Depois de seis horas a baixaria começa, né? É o padrão da casa, né? Ofensa… Já entendi o padrão — disse o ministro, provocando uma indignação generalizada no plenário."

A frase fazia referência aos escândalos protagonizado por José Adalberto Vieira da Silva, assessor de José Guimarães, pego com US$ 100.000 em espécie escondido na cueca e mais de R$ 209 mil em uma maleta em 2005. O assessor parlamentar foi detido pela Polícia Federal, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.Veja o vídeo do momento da resposta de Guedes a Guimarães:

José Guimarães negou envolvimento no caso dos dólares na cueca e foi absolvido das acusações pelo Supremo Tribunal Federal.Logo após, Guedes reconheceu seu erro e fez um pedido de desculpas ao deputado:

"Faço questão de publicamente pedir desculpas ao deputado, por uma razão muito simples. Acho que quem respeita merece ser respeitado. O senhor realmente não me desrespeitou. Fui desrespeitado por outra pessoa. Eu, talvez tanto quanto o senhor, somos absolutamente inocentes, por que a Justiça diz isso."
da Redação

Comentários