Lute agora ou cale-se para sempre: O mecanismo corrupto contra-ataca

Eu não sei se você reparou, mas nas últimas três semanas o mecanismo corrupto (deep state) está contra-atacando a população brasileira com força máxima.

Entre uma lagosta e um champanhe, um infiltrado entregando dinheiro a sindicatos, um banquete em homenagem a vagabundos e uma gambiarra jurídica para enterrar de vez a Lava Jato, a monarquia de toga decidiu soltar mais 70 estupradores do erário público para que possam seguir maltratando livremente a população.

Você não viu? Ah, pois é, entendo... muitos estavam preocupados demais com a IMPORTANTÍSSIMA briguinha entre algum General Acaju e o Oráculo da Virgínia, amplamente divulgada pela mídia.

Ou talvez a Damares tenha dito mais alguma coisa chocante como: meninos têm pênis e meninas têm vagina.

Ou pior: O Ministro Ernesto Araújo respirou (e isso basta para a imprensa reclamar dele). Imprensa essa que não abre mão de plantar fofocas direcionadas, causar pânico no mercado econômico, mostrar sua cristofobia latente, seu antissemitismo e sua necessidade constante de valorização anal.

Por que não perguntamos então para a única esperança da imprensa e dos especialistas, o menino Nhonho Botafogo Maya, grande herói da república fashion, o que devemos fazer (e a quem devemos pagar) para que o Brasil possa avançar?

Se ele não responder, pois está sempre muito ocupado no trabalho árduo de salvar a nação e guardá-la para si, não tem problema... pergunte ao menino Odebrecht, que dá no mesmo.

Recentemente, a censura ou perseguição ideológica camuflada de informação e justiça chegou no limite. O momento que vivemos é extremamente delicado. O velho sistema não quer negociar ou articular nada, ele quer simplesmente derrubar a vontade popular, garantir o funcionamento dos antigos esquemas marginais, salvar parte do quarto poder (a imprensa) da bancarrota, garantir que as reformas não passem e, consequentemente, que os investimentos não cheguem - dessa forma, o caos e a miséria tomam conta de vez. O mecanismo corrupto quer vingança, e nós, o povo, estamos no alvo. Rótulos e ações comprovam o que digo.

Listas com nomes de pessoas comuns, semelhantes às que fazia o antigo Partido Nazista são espalhadas na internet, para que extremistas possa MATAR sua curiosidade em relação aos bolsominions. Minions? Não, isso já era, agora os eleitores de Bolsonaro são milicianos virtuais, bolsonaristas perigosos, jacobinistas, nazistas, terroristas que precisam ser neutralizados “democraticamente” o quanto antes.

As tais listinhas de ódio servem apenas para facilitar o extermínio de reputações e a perseguição da militância ideológica.

Eu mesmo deixei de ser contratado recentemente em uma produtora de conteúdo por ter votado em Bolsonaro, e bloqueado por certos “amigos” progressistas após dedicar minha caneta a escrever aqui algumas verdades sobre a real situação do país.

Meu novo livro A Revolução dos Animais Transmutantes, justamente por ser uma sátira política sem freios (com uma visão mais à direita), foi rejeitado por inúmeras editoras e segue na gaveta à espera de um milagre.

O que é isso? Estou chorando minhas mágoas literárias no Jornal da Cidade, em meio a um texto de opinião política?! Não, claro que não. Estou dizendo é que chegou o momento de bancar a palavra e enfrentar o sistema, custe o que custar.

Chegou a hora de lutarmos por nosso país e nossa fé como nunca antes!

Não tenha medo de dizer o que você pensa, nem da reação de seus amigos, não permita que calem sua voz e roubem sua liberdade!

Esqueça as narrativas da mídia desesperada. Não recue mais diante dos vagabundos e nem perca as esperanças.

Ou lutamos juntos agora, ou não existiremos mais.

Allan Pitz

Escritor e roteirista. Saiba mais sobre o trabalho do autor no site: http://www.allanpitz.com/

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários