O dedo podre da esquerda por trás das manifestações

Infladas pela matilha que visa paralisar o governo de Bolsonaro, as manifestações de quarta-feira (15) contra ‘os cortes nas verbas de educação’ mal conseguem disfarçar seu verdadeiro e antipatriótico objetivo.

As imagens mostraram muito ‘lulalivre’ em cartazes e faixas.

E nada de bandeiras do Brasil.

Revelador, não é mesmo?

A esquerda gruda - e grudará - em qualquer manifestação de protesto contra medidas que Bolsonaro possa tomar.

É parte de uma campanha grotesca de grande parte da imprensalha e da esquerda, que querem simplesmente inviabilizar o presidente.

O que, convenhamos, é de uma estupidez gigantesca, já que sabemos bem que medidas duras - e nem sempre populares - terão que ser tomadas para corrigir os enormes erros cometidos pela escória petista quando esteve no poder.

A situação esculhambada da educação no Brasil é conhecida por todos: professores semianalfabetos que doutrinam demais e ensinam de menos.

O resultado vemos por aí: advogados que não conseguem escrever uma petição coerente de duas linhas, médicos que não entendem porra nenhuma do seu ofício ou engenheiros que mal conseguem construir um castelo de areia que fique de pé...Ou...

Então, o que quer a esquerda é o despejo de mais e mais grana nesse sistema evidentemente falido.

O que, evidentemente, é uma decisão das mais burras.

Mas traz o caos, o analfabetismo, os idiotas úteis, um povo descerebrado que transformam em gado.

Em massa de manobra.

Foi o visto nas ruas.

E o que a imprensalha tenta desesperadamente caracterizar como ‘movimento social’ de várias vertentes insatisfeitas.

Bolsonaro, de Dallas, foi claro: ‘idiotas úteis’.

Mas tem que tomar providências urgentes contra quem os usa para isolá-lo, pauta após pauta.

Dessa forma será impossível governar.

Ou coloca ordem nessa verdadeira casa da Mãe Joana ou terá sido inútil sua eleição para presidente.

Lamentável, diga-se, a atuação dos jornaleiros esquerdocas, que antes ignoravam os milhões de brasileiros verde amarelos nas ruas e agora transformam manifestações de anti brasileiros em grande ‘evento social de insatisfação.’

Mas sabemos todos o dedo por trás disso.

O dedo que falta.

Marco Angeli Full

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários