Matéria revela a tática da Grande Mídia para forjar informações sobre Bolsonaro

A matéria foi publicada na Revista Exame sob o título “Assessor de Bolsonaro recebeu R$ 92 mil sem nunca ter pisado na Câmara” e pode ser visualizada neste link:

https://exame.abril.com.br/brasil/assessor-de-bolsonaro-recebeu-r-92-mil-sem-nunca-ter-pisado-na-camara/

Algumas considerações sobre o conteúdo publicado.

1°- Título que induz a interpretar que havia corrupção, mesmo não havendo nada de irregular.
2°- Destaca o valor de 92 mil no título, que na verdade é a soma de diversos meses de trabalho, mas deixa vago para induzir o leitor a entender que o valor foi alto e pago de uma vez.
3°- Diz que o funcionário nunca pisou na Câmara, dando a entender que ganhou dinheiro sem trabalhar. Sendo que assessores não são obrigados a trabalhar na Câmara, trabalham no estado de origem. "Pisar na Câmara" não significa trabalhar, a matéria só checou se havia crachá registrado com o nome do assessora na Câmara, ou seja, se o Assessor não trabalhasse mas tivesse cadastrado o nome ao entrar na Câmara, essa matéria não existiria.

A mídia simplesmente joga as informações assim para a população porque sabe que a educação no país é ruim e a enganação vai funcionar.

Se você acha que a empresa Abril é confiável, você apenas está sendo enganado.

Lembrando que o Facebook não vai taxar a Abril de fake news por esse tipo de prática.

Fonte: Página A Esquerda enganava até eu conhecer esta página

da Redação

Comentários