O inusitado saldo positivo antecipado da manifestação do dia 26

Foi só o povo levantar do sofá e organizar a manifestação pró reformas que o céu clareou lá pelas bandas de Brasília.

Repentinamente os deputados tiveram um banho de consciência política/social e começaram a pensar na vontade de quem os elegeu.

Resumo do que foi decidido na MP 870.

As vitórias:

✔Tentaram impedir que os auditores fiscais pudessem denunciar movimentações atípicas (igual aconteceu com Gilmar Mendes, quando um auditor da receita denunciou uma movimentação suspeita nas contas do ministro, isso deu uma dor de cabeça que deve ter impulsionado esse pedido de amordaçar os auditores), mas o congresso não aceitou.
✔Recriar Ministério da Cultura, não aprovado.
✔Recriar Ministério do Trabalho, não aprovado.
✔Desmembrar Ministério do Desenvolvimento Regional e recriar o antigo Ministério da Integração Nacional e Ministério das Cidades, não aprovado.
As "derrotas":
❌COAF volta para o Ministério da Economia.
Aprovado. (Sai da mão de Sérgio Moro e cai no colo de Paulo Guedes mantendo a equipe que Moro contratou).
❌A demarcação de terras indígenas volta à Funai, retirando a atividade do Ministério da Agricultura. (Sai das mãos de Damares e cai no colo de Sérgio Moro).

Nada mal para um governo que "está caindo", que "não tem articulação", que está "engessado" e biriri bororó...

Quem disse Berenice????

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários