Em coro, manifestantes exterminam acusações de radicalismo da velha mídia e do MBL (veja o vídeo)

Radicalismo não teve vez entre manifestantes na Paulista

As manifestações deste domingo, 26, serviram para mais uma vez derrubar as narrativas paranóicas e conspiracionistas vendidas pela velha mídia, pelo centrão e pela esquerda.

Em uma tentativa de vender as manifestações como um conluio de fanáticos e golpistas antidemocráticos - como fizeram durante todo o período eleitoral e além -, novamente “quebraram a cara”.

O que se vê é um mar de gente fazendo questão de demonstrar exatamente o contrário das narrativas encomendadas sabe-se lá por quais interesse escusos: não cobrando o fechamento do Congresso, mas cobrando que o mesmo haja de acordo com os interesses do povo, e não em detrimento dele. O que se vê não é um bando de trogloditas reacionários exigindo o fechamento do STF, mas exigindo que seus membros não sejam tratados com distinção perante a lei, mas como os meros mortais falhos e corruptíveis que são.

A discrepância entre narrativa e realidade foi tanta que até mesmo os gigantes da velha mídia aos poucos precisam dar o braço a torcer. Na Globo News, que antes dava destaque às minorias lunáticas, pintando-as como representantes definitivas da vontade geral dos manifestantes, agora enfatiza os termos “minorias” para falar delas, mesmo que falem de tais minorias sem mostrar uma imagem sequer que comprove sua existência.

Na avenida Paulista, os manifestante fizeram coro para rechaçar radicalismos e desmoralizar as acusações absolutamente infundadas. O momento foi registrado em vídeo:

Mais que qualquer coisa, as manifestações de hoje mostram os frutos da retidão de pensamento do presidente e seu famigerado mote bíblico de João 8:22. Bolsonaro vem demonstrando que o enfrentamento direto, mesmo que desgastante, tanto com políticos tanto com a mídia, no longo prazo premiará quem estiver inegociavelmente do lado da verdade.

da Redação

Comentários