Sesc cancela peça de teatro por declaração de apoio a Bolsonaro, denuncia diretor

O governo precisa urgentemente rever os recursos destinados ao Sistema “S”, conforme já prometeu o ministro Paulo Guedes.

O novo governo precisa fazer uma verdadeira assepsia em todas as instituições.

O Sistema “S” foi usado a exaustão nas falcatruas do PT e continua sendo usado politicamente. Está totalmente aparelhado.

Basta ver o que denuncia o diretor de teatro Roberto Alvim.

Segundo Alvim, o seu posicionamento de apoio ao governo Bolsonaro culminou com o cancelamento de uma peça sua que estava agendada e programada para ser exibida no SESC.

Veja abaixo a denúncia postada nas redes sociais:

“2 meses atrás,
Um alto funcionário do Sesc escreveu um texto aqui no facebook, no qual discorreu sobre sua decepção com a minha pessoa (por conta do meu apoio ao governo Bolsonaro e minha admiração declarada pelo filósofo Olavo de Carvalho).
Entre outras coisas, dizia que depois de criar espetáculos que estão entre os melhores que ele viu, eu tinha me tornado um propagador de discursos de ódio contra gays, mulheres, classe teatral e minorias...

Artistas e outros membros do Sesc aplaudiram suas mentiras nos comentários, propondo minha defenestração completa (tenho tudo printado).

Liguei pra esse funcionário VÁRIAS vezes, mas ele não atendeu.

Então lhe escrevi pelo whatsapp; disse que ele estava MENTINDO e me despedi, rompendo relações pessoais.

Uma peça nova minha, chamada AURORA, estava programada para estrear no Sesc Vila Mariana no dia 26 de julho, com patrocínio da instituição.

Já tínha acordado tudo por inúmeros emails e telefonemas com a Gerência Geral (numa negociação que começou em dezembro passado), os atores e técnicos estavam convocados e os ensaios começariam semana que vem.

Agora, o Sesc (sua GERÊNCIA GERAL) acaba de CANCELAR meu espetáculo.

Sem justificativas, num e-mail seco.
Pois bem: agradeço à instituição por mostrar com TODA clareza o modo como opera e o que pensa acerca de LIBERDADE DE PENSAMENTO, ARTE e DEMOCRACIA."
da Redação

Comentários