Emenda de Wagner na Lei Anticrime denota ação em causa própria

Os petistas tentam diminuir os efeitos do pacote Anticrime proposto pelo ministro Sérgio Moro.

A emenda proposta por Jaques Wagner (PT) denota uma clara ação em causa própria.

O senador da Bahia quer diminuir a pena máxima do crime de corrupção, de 12 para apenas 5 anos.

Além disso, em sua investida contra a punibilidade de corruptos, Wagner pretende mudar a definição do crime de caixa 2.

O texto proposto pelo ministro estabelece que recursos não contabilizados para campanha constituem crime eleitoral, mas o transforma em crime de corrupção, caso haja contrapartida, ou seja, se o político oferecer algo em troca no exercício de seu mandato.

Wagner quer que nos casos de contribuição para campanha eleitoral tudo seja encarado como caixa 2, não importando a postura adotada pelo acusado ao longo de sua atividade de representação popular.

Vale lembrar que Jaques Wagner frequentou as planilhas da Odebrecht com o codinome "Pólo".

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Comentários