Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco, o homem que caiu como um raio sobre a igreja de Cristo

Francisco é a pior vergonha para o Vaticano.

A primeira vez que comentei sobre o cardeal Bergoglio [Papa Francisco], foi o dia que mais perdi seguidores. Foram quase 150, em poucas horas.

Hoje, alguns anos depois, o que vemos é um papa que, a cada dia, é mais simpático com ditadores genocidas e corruptos condenados. O pontificado não mudou o homem que sempre foi conhecido apoiador do Kirchnerismo.

Muitos católicos me criticaram, dizendo que a escolha papal é "ungida" pelo Espírito Santo e é o próprio Deus quem escolhe o sucessor de Pedro.

Porém, os últimos vazamentos do WikiLeaks contam uma história bem diferente. Bergoglio ascendeu ao cargo após um golpe na Cúria Romana, orquestrada pela elite do globalismo (leia-se Soros, Obama, Hillary e companhia), para depor o Conservador Ratzinger, o Papa Bento XVI.

De "santa", sua escolha não teve NADA.

O homem que mandou cartinha para o Lula é o mesmo que não permite que católicos beijem o Anel do Pescador, mas lava os pés dos muçulmanos; É o mesmo que recebeu, sorridente, um simbolo herege das mãos de um cocaleiro comunista; É o mesmo que se recusou a vir ao Brasil, no tricentenário de uma das mais importantes aparições de Nossa Senhora, por motivos políticos.

A foto, abaixo, no dia da renuncia de Ratzinger, é icônica.

Francisco caiu como um raio sobre a Igreja de Cristo, inevitavelmente lembrando o evangelho de Lucas 10:18.

É a pior vergonha para o Vaticano, desde os Bórgias.

A única chance de preservação do Catolicismo é que este farsante seja expulso, a pontapés, do trono de Pedro.

Foto da Basílica de São Pedro, no Vaticano, tirada no dia em que Papa Bento XVI renunciou ao pontificado, em 11/02/2013. (Foto: Filippo Monteforte/AFP)

Felipe Fiamenghi

O Brasil não é para amadores.

Comentários