Neymar, as novas provas e as dificuldades de amadurecer com muito dinheiro e pouca idade (Veja o Vídeo)

Neymar pai, ao vivo na BAND, mostrando cenas de câmera de vigilância e novas provas do caso de extorsão... Vale a pena assistir.

Não foram pegos de surpresa, o advogado da moça já tinha procurado o pai do jogador para pedir dinheiro evitando o desgaste da imagem do craque.

Impossível não falar sobre...

O ódio, a inveja e o oportunismo com Neymar é impressionante. O povo brasileiro sempre foi permissivo com todos os jogadores e suas farras, de Ronaldinho Gaúcho passando por Adriano Imperador até Ronaldão Fenômeno, mas com Neymar o povo exige uma pureza que não existe no meio.

Ele é responsabilizado pela derrota da seleção brasileira como se o futebol não fosse um jogo coletivo; é responsabilizado pela miséria da população ao compararem o salário e os bens que ele tem, com a pobreza da maioria da população; o culpam pelo rombo na previdência corroída o chamando de sonegador, mesmo tendo sido julgado e absolvido pela acusação;

Torcem para que ele não ganhe uma bola de Ouro para que ele "baixe a bola" porque ele tem um nível de vida de um grande astro americano, isso irrita os brasileiros já que não temos uma cultura de celebridades bilionárias e suas possibilidades, como nos EUA.

O brasileiro não perdoa quando outro brasileiro vence no resto do mundo, não importa quanto do dinheiro ganho por ele volte para o Brasil via instituto Neymar, o que importa é que "esse moleque precisa baixar a bola".

Houve uma chuva de brasileiros invadindo as redes sociais das marcas que o patrocinam para exigir rompimento de contrato. É absurdo!

Sempre fui uma defensora de Neymar, sou mãe de um atleta que entrou para uma base de um clube; ele só tinha 16 anos e recebe para aprender futebol, foi uma vaga concorrida e acompanhei meninos do Brasil inteiro tentando a mesma vaga, mas foi meu filho quem ficou.

É algo inexplicável, só quem vive pra entender e as coisas acontecem rápido demais porque as oportunidades vêm! Meu filho saiu de casa numa segunda-feira para ficar uma semana de teste num clube gaúcho e nunca mais voltou para casa, na quarta feira eu estava assinando o primeiro contrato de formação da vida dele, passou um ano lá e foi para um clube maior em outro estado; assinei outro contrato e dias depois meu filho estava treinando em sua categoria sub-17, quando chegou um homem que ele só via pelos corredores do clube, conversou com o técnico da base e o chamou, ele foi retirado do treino da base para que tivesse uma oportunidade de treinar, vejam bem, com o time profissional naquela tarde!

De casa para uma base, de um clube para outro maior e na sequência ter uma experiência com jogadores profissionais, muitos deles já experientes na seleção, tudo isso em 1 ano, só nós sabemos o quanto foi difícil a adaptação, era um menino tímido e mal conversava com o grupo do primeiro clube, sofreu em campo as consequências da timidez mas superou sozinho, treinou a mente e o corpo e hoje está sendo lapidado, tanto quanto os demais meninos e ora ou outra terá sua chance de subir o nível do treino para encarar os gigantes do profissional. É isso! É sonho, é rápido!

O futebol se alimenta destes sonhos, e oportunidades e Neymar também viveu tudo isso, mal dá tempo de amadurecer e de se entender, ele só tem 27 anos, uma fortuna que nenhum outro brasileiro deve ter à disposição no momento (se têm deve estar camuflado), mas ele paga para ter cada um dos seus bens, mesmo aquilo que ele "ganha de presente" ele adquire através do contrato de imagem, nada é de graça!

Esse é o capitalismo que tanto defendemos, é incompreensível ver tantos brasileiros forçando esse atleta a ser o purgatório do mundo. É só um homem. Ele não tem culpa de ter vencido numa profissão que paga bem.

Assim como o chamam até hoje de sonegador, mesmo tendo sido julgado e absolvido, a fama de estuprador vai ficar, principalmente para aqueles que vêm no sucesso do outro a prova de seus próprios fracassos.

Foi uma mancha na história do jogador que será lembrada para sempre, especialmente agora que ele é responsabilizado pela escolha política do pai.

Sejamos menos cruéis com os raros brasileiros que conseguem sair da miséria que vivemos e conhecer o mundo que TODOS nós deveríamos usufruir, ter dinheiro para realizar pequenos luxos e fazer beneficência.

Veja abaixo os vídeos da Band:

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários