Mais uma farsa petista escancarada

Confissão de Gleisi Hoffmann, neste domingo (2), durante um evento chamado ‘Lula Livre’: as manifestações pela Educação foram, sim, um engodo, uma cortina de fumaça a esconder seus reais propósitos políticos: defender o Grande Canalha, o Princeps Corruptorum, o encarcerado de Curitiba.

Eis a confissão da histérica ‘Amante’ na manifestação deste domingo:

"Para nós do PT, ‘Lula Livre’ é estratégico, nós achamos que não há salvação da democracia com Lula preso. Nós sempre levaremos a pauta ‘Lula Livre’ junto com a pauta da Educação”

Mais uma vez jovens estudantes foram levados a servir de massa de manobra para as esquerdas sem ética, sem escrúpulos e sem pudor. Disseram a eles que estariam defendendo a Educação, mas estavam mesmo - como o demonstra a confissão acima da desequilibrada “Amante” - servindo à causa petista em favor de seu presidiário predileto, o arquicorrupto Lula.

É melancólico ver-se que a principal, praticamente única, bandeira daquele partido que no passado empolgou os eleitores brasileiros e já fora a esperança de redenção política e moral do país – a mim nunca enganou, como já demonstrei à exaustão – é, hoje, a luta pela liberdade do político mais corrupto da história das democracias ocidentais.

A presidente de um partido político, ao colocar o encarcerado de Curitiba como a única possível salvação da democracia abusa de toda a razoabilidade, ofende a própria democracia. É como afirmar que Fernandinho Beira-mar é a única salvação da paz social no Rio e que Marcola é a única esperança de dias felizes para a população de São Paulo.

“Nunca antes” na História das democracias ocidentais se viu coisa igual em termos de desidratação programática de um partido político.

José J. de Espíndola

Engenheiro Mecânico pela UFRGS. Mestre em Ciências em Engenharia pela PUC-Rio. Doutor (Ph.D.) pelo Institute of Sound and Vibration Research (ISVR) da Universidade de Southampton, Inglaterra. Doutor Honoris Causa da UFPR. Membro Emérito do Comitê de Dinâmica da ABCM. Detentor do Prêmio Engenharia Mecânica Brasileira da ABCM. Detentor da Medalha de Reconhecimento da UFSC por Ação Pioneira na Construção da Pós-graduação. Detentor da Medalha João David Ferreira Lima, concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis. Criador da área de Vibrações e Acústica do Programa de Pós-Graduação em engenharia Mecânica. Idealizador e criador do LVA, Laboratório de Vibrações e Acústica da UFSC. Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado.

Comentários