Lava-jato e Sérgio Moro recebem estrondoso apoio popular (Veja o Vídeo)

As conversas digitais entre o ex-Magistrado Sérgio Moro e integrantes da Operação Lava Jato, obtidas de forma ilegal e criminosa por um "hacker" e divulgadas por um jornalista estrangeiro e marginal, não contém nenhuma incorreção ou ofensas às boas práticas republicanas.

Os juízes - notadamente em sede de processos penais - estão obrigados na busca da chamada "verdade real". Pouca diferença faz se um julgador conversa com as partes em seu gabinete (o que inclusive é obrigação processual que deve ser obedecida rigorosamente) ou através dos meios digitais, que atualmente são usuais em todo mundo.

Assim, as plataformas digitais não deixam de integrar o princípio da oralidade que norteia a chamada "teoria geral do processo".

O que é nitidamente um crime que merece imediatas providências, é a invasão - sem ordem judicial - das conversas privadas de autoridades do Estado.

E mais, Juízes, Promotores, Delegados, Peritos, Advogados tem o dever de conversar e de manter uma estreita interação quando se trata da aplicação da legislação de combate à corrupção e ao crime organizado. E o que está em investigação é uma enorme organização criminosa. Talvez uma das maiores da história da humanidade.

A nossa legislação é moderna e prevê inclusive ações orquestradas, delações, infiltrações entre outras estratégias para combater com inteligência as estruturas criminosas sofisticadas.

A grande mídia, e algumas entidades, em nítida má-fé, escolhem apoiar e sustentar o caminho da malandragem, que em português claro, quer dizer: andar pela via do mal.

É impressionante como fazem a defesa reiterada de atitudes marginais ilegais, abusivas e criminosas para tentar inverter a ordem das coisas buscando colocar sob suspeita mais de 300 autoridades de Estado (Procuradores da República, Delegados, Peritos, Investigadores, Juízes Federais de várias instâncias) que integram uma força tarefa que está fazendo uma limpeza ética nas estruturas do Estado brasileiro, prendendo bandidos e recuperando bilhões de reais roubados do erário.

O que isso revela? Que está evidente que há uma quadrilha muito bem estruturada entranhada no poder, com tentáculos na imprensa, que não mede esforços para sair impune dos crimes que cometeu. E mais que isso, que tenta se manter na atividade criminosa.

Há uma agravante: o "hacker" que motivou o "vaza-jato" e o jornalista que deu repercussão aos fatos, são agentes ligados ao núcleo autor dos crimes que estão sendo objeto da persecução penal que está acontecendo na Lava Jato.

E quem vai para a história? A esquerda corrupta e a imprensa militante que inescrupulosamente escolhe ficar ao lado da bandidagem e validar um crime de invasão de privacidade em prejuízo do Brasil.

Só não esperavam a reação dos brasileiros de bem!

A Lava Jato tem base social sólida. A sociedade brasileira está atenta e participativa. A tentativa articulada pela catrefa para tirar Lula da cadeia deu onde tinha que dar: com os burros (literalmente) na água! O Brasil, definitivamente, mudou. A vagabundagem deu um tiro no pé!

Ouça entrevista que dei à Rádio Nereu Ramos no Programa Espaço Comunitário desta terça-feira (11) ao Jornalista Paulo Cesar da Silva:

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia.
@LCNemetz

Comentários