Nágila e Neymar, novas aventuras, novas acusações e novos crimes

O caso do jogador acusado de estupro tá virando uma zona absoluta.

Uma verdadeira novela mexicana.

Acho que nem o ‘boquete’ da Mônica no Clinton rendeu tanta notícia.

Mais um advogado defenestrado e demitido pela moça, que o acusa de ter roubado seu tablet com a preciosa gravação.

O gajo é aquele que a carregou no colo na saída da delegacia.

Deve estar arrependido, certamente.

Porteiro de prédio, com medo, registra boletim contra a moça, por ameaças, segundo ele.

Prédio, aliás, de onde a moça já está sendo despejada, mas não sai.

E mais três advogados que participavam do caso são assaltados quando faziam uma reunião na frente do prédio da moça.

E o ilustre jogador que resolve marcar ele mesmo a data pra seu depoimento, aconselhado pelos seguranças, que tem medo do populacho.

Eu disse, no começo dessa trama diabólica que as aventuras sexuais do ingênuo jogador me interessavam tanto quanto as aventuras sexuais da tartaruga da Tanzânia (se é que ela existe).

Mas retiro tudo. O dito pelo desdito.

Isso fica cada vez mais hilário.

Inclusive a ‘seriedade’ de um bando enorme de jornalistas que correm de lá pra cá estabanados, como se o mundo - e o governo - fossem acabar amanhã e nada mais importasse além de uma das trepadinhas mais caras da história do Brasil.

Ou será que é da história da França?

Marco Angeli Full

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários