A coroa de ouro da estupidez nacional: O agito causado pelos vazamentos da Intercept

Quem não tem o que dizer ou fala bobagem ou fabrica informação.

Creio ser isso o que está acontecendo com a divulgação dos vazamentos da Intercept, apresentados de modo a criar notícia escandalosa onde o verdadeiro escândalo é a invasão de celulares de agentes públicos por criminosos que passaram informação ao site.

Praticamente tudo o que li parece ter sido redigido por um advogado da equipe de Lula, procurando tirar todo o leite possível das pedras hackeadas.

Li sobre procuradores empenhados, noite adentro, na obtenção de elementos de convicção para si mesmos. Li sobre procuradores empolgados com a missão de combater a corrupção num país em que suas ramificações pareciam não encontrar limites. Li sobre um magistrado federal cuja determinação fez dele o bem sucedido símbolo desse combate. E li uma matéria nitidamente empenhada em desacreditar a Operação Lava Jato e proteger os corruptos.

A advogada Janaína Paschoal, em seu twitter, divulgou uma opinião da qual destaco os seguintes trechos:

“Hilário ler que o CNMP está discutindo em grupo de whatsapp o que fazer com os Procuradores que se falaram em grupo de whatsapp. Será que ninguém percebe o pitoresco da situação? Pena eu não ser uma escritora, fosse, não faltaria material.
Em um país em que parentes de Ministros advogam nos Tribunais Superiores; em que a nata da advocacia criminal faz jantar homenagem ao Presidente da Corte que julgará suas causas; em que o magistrado da causa oferece jantar de aniversário para a parte; em que um ex-Ministro de Estado se refere a um Ministro do STF como “nosso advogado” e ninguém se considera suspeito, DATA VENIA, parece piada querer fazer um carnaval por causa de três frases em um grupo de whatsapp. Faz-me rir!”

Também no Twitter, J.R.Guzzo observou:

“A clonagem do telefone do ministro Sérgio Moro é apenas um episódio a mais na única disputa de verdade que existe hoje no Brasil: a guerra para derrubar Moro, liquidar a Lava Jato, soltar Lula, sabotar o governo e devolver o país aos ladrões - centrão, PT, empreiteiras. Só isso.”

Pessoalmente, me entristece saber que num país onde o crime compensa, condutas criminosas recebam credibilidade. É a coroa de ouro da estupidez nacional ocupando as cabeças que lhe correspondem.

Percival Puggina

Membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

Comentários