Bolsonaro tem convicção de que Adélio foi contratado para matá-lo e vai recorrer

O Presidente da República Jair Bolsonaro não aceita, nem admite, a decisão do juiz federal da 3ª Vara da Justiça Federal de Juiz de Fora Bruno Salvino, que absolveu Adélio Bispo de Oliveira do crime de Tentativa de Homicídio cometido em 6 de setembro de 2018, que por obra divina não lhe tirou a vida.

Em sua sentença prolatada nesta sexta-feira (14), o magistrado considerou Adélio inimputável, em razão de transtorno mental. “Louco”, em outras palavras.

A decisão envergonha a sociedade brasileira, notadamente quando se percebe que o criminoso agiu com estratégia e habilidade para cometer um crime com todas as características de ter sido encomendado.

Bolsonaro, por sua vez, garantiu que irá tomar todas as providências jurídicas para recorrer e afirmou que tem convicção de que Adélio foi contratado para matá-lo.

“É um crime contra um candidato a presidente da República que atualmente tem mandato e devemos ir às últimas consequências", disse o presidente.

A denúncia feita pelo Ministério Público Federal, apontava que o acusado colocou em risco o regime democrático ao tentar interferir no resultado das eleições, além de ter planejado o ataque com antecedência de modo a excluir Bolsonaro da disputa.

da Redação

Comentários