A guerra que parecia ser apenas ideológica acaba de ganhar um front, a trincheira e dois exércitos

Prestem atenção nesta movimentação que surgiu no final da tarde desta quinta-feira (20.06), o jornalista Reinaldo Azevedo fez um vídeo anunciando que fez uma parceria com o site militante IntercePT e, ainda nesta quinta, às 18 horas apresentaria mais um trecho do vazamento que complicaria a vida de Sergio Moro.

No conteúdo das conversas mais uma daquelas tentativas de incriminar o juiz quando ele sugeriu que repensassem ou treinassem uma das procuradoras que iria enfrentar o grupo de Lula na semana seguinte, porque ela "não se sai muito bem em audiências." Nada de novo, já tínhamos visto este trecho ainda na primeira denúncia e o fato de já estarem repetindo "os escândalos" deixa a impressão que não há muito mais do que já vimos.

Mas a movimentação que detectei é outra; logo depois do programa, Glenn Greenwald posta em seu twitter:

"Alguém pode dizer que isso é apenas reportagem da esquerda? Tem pessoas que querem prender @reinaldoazevedo por revelar este material "ilicitamente obtido", ou reconhecemos que os jornalistas fazem isso? Decida se Moro disse a verdade ontem. Muito mais vindo de outros parceiros"

Ou seja, o jornalista espalhou os trechos para vários jornalistas tentando reforçar a credibilidade da denúncia, que mais parece uma "militada" do que uma matéria.

De um lado teremos o exército de jornalistas munidos das conversas e acobertando Glenn e do outro teremos a turma da direita. Estou curiosa para ver quais serão as emissoras e sites populares que irão ter coragem de entrar nessa briga, já que os sites assumidamente de esquerda não têm credibilidade alguma.

Chegou a hora de cada um dos jornalistas, travestidos de imparciais, mostrar a cara. Atentos aos nomes! Eles odeiam perder seguidores... Queda de fluxo despenca monetização, publicidade, patrocínios... enfim... Vocês entendem, né?

Raquel Brugnera

Pós Graduando em Comunicação Eleitoral, Estratégia e Marketing Político - Universidade Estácio de Sá - RJ.

Comentários