A esquerda quer você indefeso (Veja o Vídeo)

Faltou pouco para virarmos uma Venezuela, mas a esquerda ainda tem esperança e, para isso, quer garantir que o povo continue refém do Estado

O decreto que facilita o acesso do cidadão cumpridor da lei a armas de fogo foi derrubado pelo Senado Federal, mostrando que a maioria dos senadores estão comprometidos em manter o povo indefeso, refém da violência e de uma eventual tirania do Estado.

Desarmar a população é sempre uma das primeiras medidas de qualquer regime totalitário, como fez o PT, em 2003, ao implantar o Estatuto do Desarmamento.

O Referendo de 2005 foi um engodo. Foi feito só para saber se a população concordava com o artigo 35º do Estatuto, que proibia a comercialização de arma de fogo e munição. A população rejeitou o artigo por 63,94% dos votos, mas o estatuto já estava em vigor com os demais artigos que, desde então, impõem severas restrições ao povo e ampliam o controle do Estado sobre a vida privada.

Nos últimos dias de Dilma, conforme revelou o general Villas Bôas, o Exército foi sondado por políticos de esquerda sobre a hipótese de apoiar a decretação de estado de defesa antes da votação do impeachment. A hipótese foi rechaçada pela instituição, mas o episódio deixa claro como a esquerda queria usar a força para conter manifestações populares e democráticas.

Apesar do atual governo ser de direita, a maioria dos senadores prefere manter o monopólio da força do Estado, para o dia que a esquerda chegar ao poder novamente não cometer o mesmo "erro" de não controlar a mídia e as Forças Armadas.

Faltou pouco para o Brasil tomar o mesmo rumo que a Venezuela de Maduro, mas a esquerda ainda tem esperança.

Veja o vídeo:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários