Adiamento de HC de Lula é recuo de Gilmar ante a iminente derrota

Nos porões de Brasília, a ação de hoje do ministro laxante Gilmar Mendes é chamada pomposamente de ‘estratégia’.

No entendimento de todo o resto do povo brasileiro, inclusive dos mais vermelhinhos, é um recuo mesmo.

Arrego, retirada.

Gilmar retirou nesta segunda-feira (24) da pauta da Segunda Turma do STF a análise do pedido de liberdade do vigarista luladasilva com base na suspeição do ministro Sergio Moro, que entraria na ordem desta terça (25).

Os advogados engomados e plastificados do meliante saltaram nos saltos altos, e a imprensalha vermelha bradou.

Sem eco.

A gangue, preocupada em manter o deles longe da reta, percebeu que as tramoias e conspirações cor de rosa para sujar a imagem de Moro nem de longe funcionaram.

Articulações, mentiras, compra de mandatos, espionagem ilegal, divulgação de áudios adulterados e até parcerias com folhetins tendenciosos acabaram dando em nada.

A imagem firme de Moro sequer ficou arranhada.

Pelo contrário. Dia 30 se aproxima.

E com ele, a ameaça que apavora toda essa quadrilha de sanguessugas que vampirizam o Brasil: o povo nas ruas.

E pior; a suposição de que ao lado da sociedade estarão os caminhoneiros, o verdadeiro motor do país.

O povo percebe claramente que os que lutam contra Bolsonaro na verdade lutam contra o Brasil.

E contra a Lava Jato.

Assim chamar a ação de Gilmar de ‘estratégia’ é ingenuidade.

Foi arrego mesmo.

O povo tem poder.

Todo poder, sabe-se hoje, emana do povo.

Quem não entender e respeitar isso vai pra lata de lixo da história, mais cedo ou mais tarde.

Nota da Redação: Em nota divulgada no final da tarde desta segunda-feira (24) a ministra Cármen Lúcia esclareceu que a pauta está mantida, desmantelando a estratégia de Gilmar.

Marco Angeli Full

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários