6 meses de governo e nenhuma suástica aparece no horizonte

6 meses de governo e nenhuma suástica aparece no horizonte. Só apareceram aquelas criadas pela esquerda na campanha para gerarem violência contra os candidatos indesejáveis e aqueles que os apoiavam, a ponto de quase matarem o vencedor.

6 meses de governo e nenhum homossexual foi perseguido, machucado, morto, por iniciativa do governo. Só é defendido o direito das crianças de não serem transformadas em monstros por uma ideologia nojenta que finge dar educação sexual enquanto sexualiza precocemente os pequenos.

6 meses de governo e nada parecido com uma ditadura foi sequer cogitado. Como eu dizia, quando via colegas de faculdade de Direito e até juristas renomados sem cultura filosófica e política afirmarem que estávamos sob o risco do fascismo, o que veio foi um governo anti-esquerda, respeitador da democracia liberal até as últimas consequências, mas ainda em fase de aprendizado.

6 meses de governo e manifestações de toda ordem tem podido tomar as ruas sem violência policial persecutória.

6 meses de governo e o maior problema é a luta do estamento político para manter privilégios contra a versão vencedora das eleições. Por essas e outras, a economia ainda não engrenou e a pauta da liberação das armas a cidadãos de bem responsáveis estagnou.

Também anda devagar a pauta da educação, que passou por mudanças sérias por um erro de escolha, em boa medida, já consertado. Nunca esperei um salvador sobrenatural que nada errasse.

6 meses de governo e a pauta número 1 da população pró-Bolsonaro andou: a criminalidade diminuiu e os números de homicídios caíram sensivelmente.

Eu estava certo nas expectativas, anotadas aqui e em outras redes, e a maioria dos figurões, dos isentões e dos esquerdistas que posavam de moderados e equilibrados estavam errados.

Vim só para registrar que eu sabia do que falava mesmo, e que a maioria das mentiras e burrices travestidas de análises sérias e ponderadas só serviram para enganar incautos e criar tensões, medos e atos de violência contra inocentes.

(Texto de Rafael Nogueira)

Comentários