Processo do sítio avança, MPF pede aumento da pena e “jornalista” de Lula diz que ele está “desesperado”

Em parecer enviado nesta quarta-feira (26) o Ministério Público Federal (MPF) pediu o aumento da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no caso do sítio de Atibaia.

A cota do MPF faz parte da etapa derradeira do trâmite processual, que logo está pronto para ser julgado pelo 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre (RS).

Em caso de confirmação da condenação do meliante petista, qualquer intenção de progressão de regime no processo do tríplex, estará prejudicada.

Mônica Bergamo, a quem Lula trata como “minha jornalista”, acusou o desespero.

O site petista Brasil 247 descreveu a situação da seguinte forma:

“A sessão de ontem do Supremo Tribunal Federal deixou o ex-presidente Lula, pela primeira vez em muitos meses, tenso e ansioso, revela a jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna. Segundo ela, Lula acreditou pela primeira vez que poderia, enfim, sair da prisão.
‘Bateu o desespero’, diz uma pessoa próxima. Lula então orientou os advogados a irem para o tudo ou nada, insistindo na votação do habeas corpus. As ponderações de que protelar o debate poderia ser positivo, já que novas revelações do escândalo das mensagens de Moro com procuradores poderiam surgir, não surtiram efeito", revela a jornalista. "O cálculo era o de que, se o STF não soltasse Lula agora, isso dificilmente ocorreria depois", diz ela.
Bergamo lembra do julgamento do caso Atibaia no TRF-4, que poderá manter Lula preso para sempre, mesmo após a eventual suspeição de Moro.”
da Redação

Comentários