Esquema antigo de tráfico em aviões da FAB começa a encontrar barreiras com Bolsonaro (veja o vídeo)

O pó da hipocrisia

Uma das coisas mais ridículas é ver consumidores de cocaína “lacrando” pra cima do governo por causa do sargento que foi preso por tráfico. Hipocrisia à parte, entenda o que aconteceu e o que pode ter por trás.

O segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, 38 anos, que integra o Grupo de Transporte Especial da FAB, foi preso em Sevilha, na Espanha, com 39 Kg de cocaína. Ele era comissário de bordo no voo da equipe de apoio à comitiva de Bolsonaro. Deixou Brasília antes do presidente e ficaria em Sevilha, onde a comitiva faria escala antes de seguir para o Japão. Ao desembarcar, foi flagrado por fiscais aduaneiros numa inspeção aparentemente de rotina.

O primeiro detalhe, para não cair em fake news, é que nem o sargento e nem a droga estavam no avião presidencial.

O segundo, para começar a entender o que pode haver por trás, é que esta não é a primeira vez que aviões da FAB são usados para traficar drogas. Em 1999 (governo FHC), a Polícia Federal revelou um esquema de tráfico internacional de drogas com aeronaves da FAB. Três oficiais da Aeronáutica foram condenados.

O terceiro é que esse sargento já fez mais de 30 viagens nessa função de apoio a autoridades brasileiras desde 2011 (governo Dilma). E o quarto é que Marcelo Freixo defendeu Bolsonaro. Disse que o episódio é muito grave e precisa ser esclarecido, “...mas pode ser um caso isolado e não é possível responsabilizar o presidente", escreveu.

Será que Freixo defendeu Bolsonaro porque gosta de defender bandido ou porque o esquema é mais antigo e ele quer preservar a imagem dos presidentes anteriores caso algo mais seja descoberto?

Perguntinhas sarcásticas à parte, não há nenhuma chance desse tipo de ação ter ligação com Bolsonaro, por dois motivos. Primeiro porque políticos e partidos que cultivam boas relações com o narcotráfico internacional geralmente são alguns dos filiados ao Foro de São Paulo. Segundo porque o esquema é antigo e agora, pelo jeito, começou a encontrar barreiras neste governo e a prisão do sargento é um sinal disso, assim como o aumento de 600% nas apreensões de drogas pelo país só nos 5 primeiros meses de 2019.

Para quem argumenta que a prisão foi na Espanha e não tem a ver com o governo brasileiro, saiba que é comum a cooperação entre polícias no combate ao tráfico internacional. Além disso, armar para o flagrante ser na Espanha me parece uma estratégia inteligente, pois é plausível acreditar que uma operação da PF no Brasil poderia seria prejudicada por outros possíveis integrantes da quadrilha infiltrados na FAB.

Para quem acha que a imagem internacional do Brasil fica prejudicada, eu discordo. O episódio mostra que este governo está disposto a combater o tráfico internacional como nunca antes. Fora que não importa o que países com governos globalistas ou comunistas pensam de nós. Importa o que nós pensamos da nossa pátria.

O que prejudicou a imagem do Brasil foram os governos de esquerda que aparelharam e destruíram a educação, fizeram mensalão, petrolão, se associaram ao Foro de São Paulo e mandaram o dinheiro do povo para ditadores amigos através do BNDES.

Bolsonaro está indo bem, para o desespero da esquerda, do crime organizado e dos bilionários globalistas.

Veja o vídeo:

Herbert Passos Neto

Jornalista. Analista e ativista político.

Comentários