Veja entra na guerra contra a Lava Jato, não consegue nada e requenta matéria

O jornalismo atinge o ápice da cretinice, da imoralidade e da safadeza.

A Veja se apequena e enlameia toda a sua história.

Desde que mudou de proprietário, deixando de pertencer a Editora Abril, a revista escolheu um caminho tortuoso e agora atinge o limite do mal jornalismo, optando pela desinformação e se associando a um gangster americano travestido de jornalista, para tentar de alguma forma atacar a maior operação contra a corrupção da história.

As intenções do tal Glenn Greenwald são conhecidas. Ele pretende, usando de métodos aéticos e ilícitos criar fatos que possibilitem a seus comparsas no Judiciário soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O plano quase deu certo. Felizmente, em tempo, a pilantragem do gringo está sendo desmascarada.

Quanto a revista Veja, ante aos cortes nas verbas de publicidade impostas pelo Governo Federal, tenta de alguma forma arranhar a imagem do Presidente da República, buscando atingir o seu ministro mais popular, o ex-juiz Sérgio Moro.

Pobre jornalisticamente, vivendo das glórias que conquistou no passado, a primeira matéria da Veja sobre o assunto é lastimável. Mero sensacionalismo em um conteúdo requentado.

Uma vergonha!

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Comentários