TCE

Deputado do PSOL que chamou Moro de 'juiz ladrão' aumentou seu patrimônio 360% em 4 anos

Pobre Sérgio Moro, não só teve que abrir mão de sua vida pessoal, sua privacidade e sua segurança quando decidiu enfrentar os grupos políticos mais poderosos do Brasil, como também é obrigado a aguentar pessoas do nível de Glauber Braga do Psol (partido que dispensa apresentações) lhe chamando de "corrupto" e "ladrão".

Glauber acusa Moro desses crimes, sem nenhum indício de que ele os tenha cometido. O faz por pura birra política. Faz para seguir sua agenda ideológica. Quer aparecer para a turminha da esquerda.

Mas o deputado do Psol, no entanto, tem uma evolução patrimonial muito peculiar, uma que a imensa maioria dos brasileiros nunca nem sonhará em ter. Talvez Glauber pudesse ensinar o segredo para nós. Como aumentar seu patrimônio em 360% em apenas 4 anos?

A verdade é que um deputado como Glauber custa muito caro para nós brasileiros. Não só pagamos a ele R$ 33.700,00 todo mês, como também gastamos R$ 298.000 para que ele se elegesse. Sim, pagamos para Glauber Braga concorrer (através do Fundo de Financiamento de Campanha) e agora pagamos 33 salários mínimos por mês para que ele nos brinde com seus ataques de birra ideológica contra um dos homens que mais poupou nosso dinheiro das mãos de corruptos.

Glauber recebeu 0,52% dos votos no RJ, quantia insuficiente para elegê-lo por votos próprios, só sendo eleito em razão de uma aberração chamada Quociente Eleitoral, onde os votos da legenda são transferidos para os candidatos que tiveram menos votos. Só pra constar, a campanha de Bolsonaro recebeu quase 70% dos votos no RJ e ganhou em 89 dos 92 municípios.

Então caro psolista, abaixe a bola. Se o brasileiro precisar escolher entre alguém que gasta dinheiro público e alguém que o recupera, pode ter certeza que ficaremos com a segunda opção.

Avante Sérgio Moro!

Frederico Rodrigues

Analista Político e Membro da Direita Goiás.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

Comentários