A herança petista: a esquerda nas ruas virou piada

Perdeu, playboy.

Entre o povo brasileiro há a certeza de que o Partido dos Trabalhadores, em sua nefasta passagem pelo poder, não deixou nenhum legado positivo para o país.

Mas deixou...

Há mais de meio século a esquerda detinha orgulhosamente o título de rei das ruas. Ou rainha, como queiram.

Por trás de fachadas progressistas e populistas como ‘igualdade social’, defesa dos 'pobres’, defesa de minorias como gays e negros foi pomposamente enganando o povo que colocava nas ruas.

Em 2013, a escancarada ganância - e burrice - de lula da silva e seus comparsas acabou e esmigalhou com essa fachada.

A tal ‘igualdade’ ficou clara: os petistas eram mais iguais, o resto era gado usado e manipulado.

Sempre vistosos com seus barcos, rolex, sítios e triplex, o povaréu se perguntou finalmente: 'que igualdade era aquela dos petistas’?

A defesa das 'minorias’ também era enviesada e torta: a única que sempre defenderam foi a deles próprios, dos privilegiados, dos empresários fora da lei, dos propineiros, dos vagabundos semi analfabetos. Uma casta, uma minoria.

Gays, negros ou mulheres espancadas foram usadas igualmente, apenas como bandeira, e descartadas eventualmente.

Ao se apropriarem de ações sociais como 'bolsa família’, ‘bolsa detento’ e outros bichos usaram também os pobres como massa de manobra para obterem mais poder. Mais privilégios.

Dilma da silva, temer da silva ou lula da silva, não importa.

São postes da mesma rua escura e esburacada.

Foi a ganância burra e a certeza da impunidade eterna que ofuscaram a razão e inteligência de um único homenzinho, hoje engaiolado em Curitiba, a raiz de todos os males da esquerda, hoje uma piada moribunda.

O homenzinho conseguiu - com seus asseclas de todos os partidos - em pouco mais de uma década tirar e pulverizar a hegemonia que a esquerda possuía nas ruas.

O playboy de iPhone perdeu.

O povo decente que foi às ruas em 2013 e que em 2015 tirou a louca dilma do poder foi crescendo, criando consciência.

Finalmente, esse mesmo povo derrotou o PT e a esquerda nas urnas e elegeu seu presidente: Jair Bolsonaro.

E o defende, surpreendentemente, como aconteceu domingo passado nas ruas de todo o Brasil.

Milhões em todo o país.

Em paz, com consciência e muito longe da convulsão social causada por blackblocs e outros criminosos contratados por lula nas manifestações de sua esquerda.

Fosse eu comunista ou socialista, teria ódio de luladasilva pelo mal que causou ao transformar a esquerda nas ruas em uma piada.

Mas, evidentemente, aos radicais mortadela falta inteligência pra isso.

A eles, só resta repetir, como num mantra, os mesmos delírios de uma cartilha velha e gasta:

“lula livre, lula livre, lula livre...”

Marco Angeli Full

Artista plástico, publicitário e diretor de criação.

Comentários